em , ,

FIL e Experiência Yellow: presentes para toda a família

Na semana em que se comemora o Dia da Criança, atriz e diretora Karen Acioly, notadamente uma das pessoas da classe artística que mais se dedica à causa do teatro para todas as idades, entrega à cidade dois presentes, um finalizado e outro a começar. No dia 9/10, encerrou o 14º FIL – Festival Internacional de Intercâmbio de Linguagens, que trouxe à cidade, entre os dias 30 de setembro e 9 de outubro, mais uma vez, atrações de qualidade excepcional, seja do Rio, de outros estados e mesmo de outros países como França, Bélgica, Peru, Bósnia, Finlândia, Dinamarca e Canadá.

Finalmente, no dia 15, este sábado, no Oi Futuro Ipanema, estreia o musical “teen” “Experiência Yellow”, escrito em parceria com filho Ciro Acioli, que também atua no espetáculo. Na história, Paulo é um adolescente inquieto. Tenta encontrar mil respostas para milhões de novas perguntas que insistem em se multiplicar no seu veloz raciocínio. Embarca então na mais delirante viagem dentro de seu próprio quarto; seu “Submarino amarelo”. Paulo é também incomunicável com seus próprios sentimentos por Nina – paixão de infância incubada há tempos.

Ao longo dos 10 dias de festival, os locais que receberam as atrações, entre eles Oi Futuro Flamengo, Espaço Sérgio Porto e Espaço Tom Jobim, estiveram sempre lotados, repletos dos olhinhos curiosos e desbravadores das crianças, com seus pais e famílias a tira-colo.

experiencia-yellow-26-08-nestrea-36

Em meio a tantas notícias negativas, transtornos políticos, ideológicos e de toda a ordem, o FIL foi é um oásis no meio da realidade brasileira atual. Tanto assim que artistas como Suzanne Lebeau e a companhia bósnia/peruana de Hugo e Inês, que já trouxeram anteriormente o maravilhoso espetáculo “Pequeños Cuentos”, foram reincidentes neste FIL. O evento tem, ainda, o papel de movimentar a economia da cultura. A projeção de fotos “O Rio que mora no Mar” do fotógrafo Odir Almeida, com curadoria de Maria Arlete Gonçalves, foi uma das inovações do festival este ano. Depois de ter passado também pela Escola de Cinema Darcy Ribeiro, chegou ao FIL e vai virar livro de arte, a ser lançado ainda este ano, numa produção de Juliana de Carvalho, da Bang Filmes.

Para a inventora do Festival “Há um tanto de tudo no FIL: reflexão, profundidade, contundência, inovação e entretenimento para toda a família; da primeira infância à adolescência e “fervelhescência”, diz Karen Acioly.

Que assim seja por muitas edições do FIL, como diz Karen. Afinal, uma Nação se faz de homens, livros e de “Teatro”. E bora assistir “Experiência Yellow” no Oi Futuro Ipanema!

Deixe uma resposta

Publicado por George Patiño

Jornalista e assessor de imprensa. Integrante do Clube da Leitura, coletivo que se reúne quinzenalmente com objetivo de ler contos já publicados e escrever novos.

Festival do Rio: A promissora sensibilidade cinematográfica de “Mulher do Pai”

“Inferno” não traz nada de novo, mas ainda assim funciona