março, 2017

6mar - 23junmar 612:00 AMjun 23Teatro do Saara inaugura no próximo dia 6 de março com peças curtas a preços populares12:00 AM - (junho 23) 3:00 PM Teatro do SaaraAgenda cultural:Teatro

Detalhes

 

A Sociedade de Amigos das Adjacências da Rua da Alfândega, bem mais conhecida por Saara, tem pelo menos 800 lojas e recebe diariamente mais de 80 mil pessoas em um único dia. Com foco nesse público que circula pela região, entre visitantes, comerciantes e outros trabalhadores, foi criado o Teatro do Saara, cujo objetivo é oferecer lazer de qualidade no horário do almoço sem que o espectador precise se planejar com antecedência. O propósito é justamente a conveniência.

A partir do dia 6 de março, cinco espetáculos curtos, com ingressos a R$ 3, serão encenados em um antigo prédio da região selecionado pela equipe. Com textos de Luciana Zule e direção de Fernando Maatz (idealizador do projeto), O homem que via os mortosO sequestro no trem fantasmaO mascate da Rua da Alfândega, Dr. Frederico, o hipnótico Crime na Uruguaiana vão se alternar na programação de segunda a sexta, com 25 minutos de duração cada. O Teatro do Saara tem patrocínio da Secretaria Municipal de Cultura.

“Nosso principal objetivo é mostrar que o teatro pode fazer parte do dia a dia das pessoas, tornando-se uma alternativa de lazer inteligente no horário comercial. A ideia é manter em funcionamento um espaço na hora em que as pessoas já estão na rua. Não é preciso se deslocar para ir ao teatro. Ele já está lá”, explica Fernando Maatz, também diretor da Anti Cia de Teatro.

Com três apresentações por dia, entre 12h e 15h, as peças são inspiradas pelo Grand Guignol, teatro francês que ficou conhecido no começo do século 20. O gênero tornou-se famoso especialmente pelo modo como desenvolveu as peças de terror. “Havia truques cênicos e maquinaria para efeitos variados, de cortar uma cabeça a simular pele derretida por ácido. No Teatro do Saara, dialogamos com o Guignol e teremos truques inspirados pelo gênero de horror que tanto o consagrou”, acrescenta Fernando.

O projeto segue até o dia 23 de junho, mas o objetivo é futuramente conseguir criar ali um espaço cultural com programação contínua, sala de ensaio, teatro de pequeno porte e espaço de convivência. “Escolhemos o Saara por ser um comércio popular muito interessante, com grande diversidade de tipos, e com valor histórico. A cidade começou aqui: essas ruas são as mesmas citadas por Machado de Assis, por exemplo. Além disso, pensamos como empreendedores em como fazer um negócio viável. E fizemos as contas: para que o Teatro do Saara lote todos os dias, precisamos de menos de 1% dos que já frequentam a região”, completa Maatz.

Peças e Sinopses

O homem que via os mortos

Farsa. A trama sobrenatural envolve três personagens: Lindalva, empregada doméstica que sonha ver de perto uma pérola de verdade; Sr. Ling, estrangeiro dono de uma perfumaria no Saara, que sofre de uma disfunção intestinal; e Jonas da Luz, o homem que diz ver os mortos com a ajuda de uma máquina especial. Sr. Ling quer recuperar a famosa fórmula do Óleo de Cobra, produto de grande sucesso em sua loja, mas que se perdeu com a morte de seu sócio Chen, único conhecedor da fórmula. Para isso chama Jonas da Luz, vidente charlatão. Enquanto Jonas da Luz e Sr. Ling conversam sobre o contato com os mortos, Lindalva escuta, por engano, que há um colar de pérola perdido pela casa, enchendo de expectativa a empregada que acredita que finalmente conseguirá ver de perto uma pérola original!

Elenco: Bruno Aragão, Cecília Hoeltz, Lucas Oradovschi

 

O sequestro no trem fantasma

Drama musical. Após um misterioso sequestro nas imediações da Praça Tiradentes, famoso trem fantasma é obrigado a ficar fechado por meses, tendo a oportunidade de reabrir suas portas com número musical estrelado por seus sinistros e misteriosos integrantes: Medalhão, bate-bola sem pernas; Aranha, a siamesa de garras envenenadas; Peludo, o homem-cão e Morta, a amorosa sem dedos. Durante o ensaio para o grande dia de reabertura, revelações bombásticas transformam o Trem Fantasma num campo de batalha, onde a verdade pode doer ou virar canção.

Elenco: Bruno Aragão, Cecília Hoeltz, Dulce Penna, Lucas Oradovschi

 

O mascate da Rua da Alfândega 

Monodrama. Famoso mascate, vendedor de banha da Rua da Alfândega, conta sua história de vida e seu encontro com Jussara, arrumadeira de pensão, que está sempre de luvas de cetim e guarda um estranho segredo. Após conhecer homem misterioso, que tenta lhe vender a famosa fórmula da Banha de Cobra, vinda de Lisboa, o mascate é envolvido em boato que põe seu negócio em jogo e faz com ele fique cara a cara com Jussara em situação arriscada.

Elenco: Bruno Aragão, Cecília Hoeltz, Dulce Penna, Lucas Oradovschi

 

Dr. Frederico, o hipnótico

Suspense científico. Os Almeida, respeitado casal com loja no Saara, resolvem consultar o famoso Dr. Frederico em busca de tratamento para estranha enfermidade que atingiu um dos membros da família. Valdir, sua mulher e seu filho de colo participam de uma assustadora consulta médica, na qual Dr. Frederico demonstra toda a sua habilidade de hipnotizar até os seres mais selvagens da Terra.

Elenco: Bruno Aragão, Cecília Hoeltz, Lucas Oradovschi

 

Crime na Uruguaiana

Tragédia de erros. Rubens, um tímido professor de história e mitologia geral, se apaixona por Cristina depois de um forte esbarrão na Rua Uruguaiana. Embora tenha dificuldade em se comunicar com a jovem, vai preparando em seus pensamentos a mais linda declaração de amor que um homem poderia fazer a uma mulher.Após vários esbarros enigmáticos com Cristina, Rubens decide fazer a declaração, mas acaba sendo surpreendido pelo destino que arrasta os dois para as páginas policiais. 

Elenco: Bruno Aragão, Dulce Penna

 

Sobre Fernando Maatz

Mestre em Artes Cênicas e bacharel em Direção Teatral pela UniRio. É sócio-fundador e diretor artístico da Anti Cia de Teatro, com a qual já realizou sete espetáculos, além de oficinas culturais e esquetes. Como diretor convidado atuou nas seguintes produções: “Minotauro, Fábula Musical” (Grupo Mosaicos/2013 – Prêmio Myriam Muniz de Montagem Cênica 2012); “A Filha da Chacrete” (patrocínio da prefeitura do RJ); “Três” (Contemplado pelo FATE); “Cem Gramas de Dentes” (texto de Bosco Brasil, mostra de dramaturgia contemporânea no Teatro  Ziembinski), entre outros. “Sobre os ombros dourados da felicidade (Punk Modo On)”, com texto de Marcelo Mirisola, e Teatro do Saara são suas mais recentes criações.

 

TEM – Central de Produção 

A TEM – Central de Produção é um novo modelo de negócio na área cultural que surge da união das empresas Teatro do Saara + Estufa + Magalona Produções. A ideia surgiu no final de 2015 quando Fernando Maatz (teatro do Saara) convidou Luciana Zule (Magalona Produções) e Natália Simonete (Estufa) para trabalhar de forma colaborativa e sair do lugar comum da produção cultural atual, com muitos projetos que não sobrevivem sem patrocínio e são encerrados após muitos investimentos e poucos meses de apresentações públicas. A central de produção trabalha pela cultura economicamente viável, sustentável e acessível e acredita em projetos pautados na visão de longo prazo e na consolidação de parcerias de interesse mútuo.

 

Ficha técnica:

Direção Artística e idealização: Fernando Maatz
Dramaturgia: Luciana Zule
Elenco: Bruno Aragão, Cecília Hoeltz, Dulce Penna e Lucas Oradovschi
Cenário e Programação Visual: Renato Marques
Figurino: Francisco Leite
Costureira: Maria Brandão
Iluminação: Anderson Ratto
Direção Musical: Roberto Souza
Foto e vídeo: Renato Marques e Renata Lima
Contrarregra, operador de luz e som: Wellington Fox
Consultoria de Arquitetura: Aline Saldanha e Louise Vieira
Direção de Produção: Clarissa Menezes
Assistente de Produção: Daiana Magalhães
Assistente de projetos: Kirce Lima
Gestão Administrativa: Natália Simonete
Realização: TEM Central de Produções e Anti Cia de Teatro

 

Serviço

Teatro do Saara
Endereço: Largo São Francisco de Paula, 19 – Centro
Telefone: 3349-8008
Temporada: de 6 de março a 23 de junho
Dias e horários: de segunda a sexta, sessões às 12h, 13h e 14h.
Segundas-feiras:  O Mascate da Rua da Alfândega (12h) / Crime na Uruguaiana (13h) / O homem que via os mortos (14h)
Terças-feiras: Sequestro no Trem Fantasma (12h) / Dr. Frederico, o hipnótico (13h) / O Mascate da Rua da Alfândega (14h)
Quartas-feiras: O homem que via os mortos (12h) / Sequestro no Trem Fantasma (13h) / Crime na Uruguaiana (14h)
Quintas-feiras:  Dr. Frederico o Hipnótico (12h) / O Mascate da Rua da Alfândega (13h) / Sequestro no Trem Fantasma  (14h)
Sextas-feiras: Crime na Uruguaiana (12h) / Dr. Frederico, o Hipnótico (13h) / O homem que via os mortos (14h)
Preço: R$ 3
Lotação do teatro: 50 pessoas
Duração: 25 minutos (cada peça)
Classificação indicativa: 16 anos

Horário

Março 6 (Segunda) 12:00 AM - Junho 23 (Sexta) 3:00 PM

Localização

Teatro do Saara

Largo São Francisco de Paula, 19 - Centro – Rio de Janeiro

X