A Jedicon 2017, que aconteceu no centro de convenções do Hotel Windsor, na Barra da Tijuca, no último final de semana. Como se esperava foi uma grande celebração de fãs da saga Star Wars, ainda comemorando os 40 anos da saga. Também eram comemorados os 20 anos do Conselho Jedi do Rio de Janeiro, o maior fã clube de Star Wars do Brasil, que organiza o evento todos os anos.

Nos auditórios, batizados como George Lucas (o principal) e Timothy Zahn (o segundo), os destaques do primeiro dia foram a bem-humorada palestra da dupla Azaghal e Carlos Voltor do site Jovem Nerd sobre as “caneladas” dos filmes de Star Wars; o crítico Eduardo Miranda no painel chamado O Último Fanboy, explicando com muita graça e acidez o porquê de ele, fã ortodoxo, não ter gostado de “O Despertar da Força”.

Desperdício de atores como Max Von Sydow e personagens clássicos colocados em segundo plano para valorizar os novos foram alguns dos motivos. Já Rogue One estampou um sorriso no rosto do nerd old school. Também acendeu a curiosidade de muitos a demonstração de técnicas mentalistas de Leonardo Martins, mostrando que alguns dos poderes Jedi realmente existem. Foram feitas demonstrações de adivinhação, telepatia e resistência.

No segundo dia, as principais atrações foram a homenagem aos 40 anos da saga e o painel com os dubladores de “O Despertar da Força” junto com Mário Jorge, a voz de Luke Skywalker da dublagem clássica dos anos 80. A representatividade trazida pelos filmes de Star Wars (principalmente nos novos) foi outro destaque no auditório Lucas.

Fora dos dois auditórios, havia estúdio de tatuagem, área de atividades para os pequenos (a zona kids/padawans) e até pole dancing geek. A modalidade consistia em dançarinas de pole dancing realizando a performance ao som de algum tema de Star Wars e usando algum adereço remetendo ao filme.

Para os colecionadores o evento também foi um prato cheio. Colecionáveis para todos os gostos estavam disponíveis nos stands montados no pavilhão. Os viciados em game formaram filas na estação que contava com dois PS4, um com o jogo Battlefront e o outro com simulador de realidade virtual. A exposição de maquetes foi outro destaque, especialmente a réplica da Millenium Falcon meticulosamente reconstituída (com detalhes até do cockpit).

Outra atração foram as bandas que tocavam sucessos de filmes e séries como a The Screeners (no sábado) e a Stormtroopers do Sucesso (domingo). Ambas fizeram o auditório George Lucas se transformar em uma pista de dança, convocada por um animadíssimo Lando Calrissian.

Ao final do evento ficou claro que a força continua intensa com Star Wars e agora com um filme sendo lançado por ano o universo criado por George Lucas está ainda mais sedimentado nos corações e mentes. E a Jedicon tem tudo para crescer ainda mais.