Mais

  • em ,

    Poesia no altar do leitor

    O poder de síntese é a estrada dos grandes poetas. Enquanto na prosa o autor terá páginas e páginas, enlaces e tragédias para desenvolver a trama, o poeta não dispõe da mesma complacência do leitor. Os bons escritores do gênero são sintéticos; cada palavra um diamante dilapidado pela experiência lírica e vocabular. Assim são os poemas […] Mais

  • em ,

    A poesia musical no novo livro de Jorge Salomão

    “Alguns poemas e + alguns” (Editora Rubra, 2016), é o livro mais recente do poeta e ativista cultural Jorge Salomão. Em versos do autor, ele não se define poeta, mas malabarista “e dos piores que existem/quando vou andar no arame/logo caio no chão”. Por conseguinte, o que encontramos é um livro flexível e ritmado, densamente […] Mais

  • em ,

    Os olhos da infância em Valter Hugo Mãe

    A Literatura é inspirada pela realidade, contudo busca ultrapassá-la. Para isso, é importante e necessário que o bom escritor conheça o lugar-comum e as regras sociais que se fazem presentes naquela porção de realidade que deseja mostrar para então reinventá-los de acordo com o conflito imaginado. Isto explica o êxito de Valter Hugo Mãe em […] Mais

  • em

    O barro que ganha vida em Marília Arnaud

    O romance regionalista é, sem dúvida, uma composição das mais difíceis. Sem precedentes na tradição europeia, os escritores que se propõem ao gênero têm que resolver sozinhos as lacunas entre o real e o imaginário utilizando as idiossincrasias de cada região. O ponto chave é a verossimilhança, mas, paradoxalmente, como o leitor pode crer que […] Mais

  • em

    O Grito e o problema do fim inverossímil

    O Grito (Editora Record, 2016) é o trabalho mais recente de Godofredo de Oliveira Neto. Desde o início, o que satisfaz a leitura é a utilização do Teatro para enriquecer e inspirar novos significados para a história. A fusão entre as artes parte dos dois protagonistas: a octogenária atriz aposentada Eugênia e o ator recém chegado […] Mais

  • em

    O arco da loucura

    A esquizofrenia é o tema de “Arco de virar réu” (Editora Tordesilhas, 2016), o primeiro romance de Antonio Cestaro. Para expor as características de uma doença mental tão delicada e complexa, o autor dilacera a escrita ao intercalar o fluxo contínuo da história com os delírios da enfermidade. A fórmula atinge o objetivo desejado. As ideias […] Mais

  • em

    A poetisa de nossa aldeia

    Poétiquase: lírica instantânea (Editora Letramento, 2015) é o livro de estreia da poeta mineira Bruna Kalil Othero. A autora preza pela forma livre e heterométrica em seus poemas, mas também encontramos sonetos (tanto os tradicionais quanto a variação inglesa com espaçamentos), e alguns versos experimentais com forma alterada, sempre prezando a harmonia e o ritmo […] Mais