em

A Bela e a Fera 3D: De novo sim, e daí?

Desde o ano passado a Disney vem relançando no cinema alguns de seus maiores clássicos em versão 3D. A companhia não estava certa se a iniciativa atrairia o público, mas o sucesso com o primeiro relançamento, a produção de 1995 “O Rei Leão”, garantiu a continuidade do projeto. Chegou agora a vez do inesquecível “A Bela e Fera” passar pelo upgrade tecnológico.

Vencedora de duas estatuetas do Oscar e primeira animação a receber uma indicação na categoria de melhor filme pela Academia, não faltam motivos para atestar “A Bela e a Fera” como um clássico para ver e rever. Mas fica a questão: considerando que o filme já foi remasterizado, estando disponível em DVD e Blu-ray, vale a pena pagar para vê-lo em 3D? Bom, a resposta depende do perfil do espectador. Se for uma pessoa que viu o filme apenas uma vez há muitos anos e não tem grande envolvimento emocional com a história, a resposta provavelmente é não. Para gerar aqueles efeitos impressionantes em 3D em que personagens parecem saltar da tela ao estilo “Avatar”, é preciso que a produção seja filmada já com tecnologia 3D. A utilização dessa tecnologia em produções já finalizadas apenas melhora a qualidade da imagem e produz uma maior noção de profundidade. Por isso, se o que você procura é um espetáculo digital, vai se decepcionar.

Agora se você morre de rir da implicância do relógio com o candelabro, cantou junto com Lumiére e toda a louça do castelo quando Bela teve seu primeiro jantar e chora ao ver os protagonistas descendo as escadas do salão principal ao som “Tale as old as time”, bom aí a resposta é bem diferente. Por mais que o espectador já tenha memorizado cada cena, cada fala, ver cada detalhe de uma das produções mais bonitas dos estúdios Disney na experiência do cinema e com uma grande qualidade visual, emociona. Duas cenas em particular impressionam nesta versão em 3D: a floresta, logo no início do filme, que realmente transmite a sensação de transportar o espectador para dentro da telona e, principalmente, o inesquecível salão dourado, com teto adornado por anjos, um imenso lustre e iluminado pelo céu estrelado, que vai tirar o fôlego de quem é fã da produção.

Muitos críticos afirmam que a transformação dos clássicos em 3D é apenas um caça-níquel dos estúdios Disney, que estaria passando por uma crise criativa. É claro que seria muita ingenuidade acreditar que a maior motivação por trás da iniciativa não seja a financeira. Mas que mal há nisso? Os estúdios Disney são uma empresa e, como qualquer outra, precisam lucrar para sobreviver.

O importante é lembrar que, independente da razão por trás desses relançamentos, os filmes da chamada “fábrica de sonhos” ajudam a preservar o imaginário das crianças em meio a uma infância cada vez mais associada a aparatos tecnológicos. E a volta dos principais sucessos Disney aos cinemas contribui para a continuidade desta tradição que há décadas vem garantindo que os contos de fadas clássicos sejam transportados de geração em geração. Se “A Bela e a Fera” não é dos seus favoritos, já existe uma fila de outras produções para ganharem versões em 3D: “A Pequena Sereia”, “Procurando Nemo” e “Monstros S.A.”. Se você já é um apaixonado por essas animações não pode deixar de assistir a pelo menos uma no cinema e se você não for… Bom, vá assim mesmo, pode ser que você se decepcione, mas quem sabe não acaba finalmente cedendo aos encantos da magia de Disney?

Um comentou

Deixe sua opinião!
  1. Muito bom o artigo! Foi o 1º filme que e vi no cinema e um dos meus desenhos favoritos da Disney.
    Certeza que vou chorar de novo e perguntar como sempre, porque eu prefiro a Fera do que aquele príncipe narigudo horrível xD!

Deixe uma resposta

Giannini e seu legado

Pocket Games: Ghost Trick: Phantom Detective