O novo filme de Hany Abu-Assad, “Depois Daquela Montanha” (The Mountain Between Us, EUA/2017), estrelado por Kate Winslet e Idris Elba, conta a história de um médico e uma fotojornalista renomada que sobrevivem a um acidente de avião, mas acabam ficando “encalhados” no topo de uma montanha gelada em pleno inverno. Sem sinal e sem modos alternativos de comunicação, os dois contam apenas com a ajuda de si mesmos e do terceiro sobrevivente do acidente, um cão labrador, para se ajudarem e tentarem sobreviver.

Durante esse período, acompanhamos o típico embate narrativo presente entre personagens que ficam presos um ao outro em uma situação extrema. Há o choque, a discordância, os momentos de crise e perigo que os aproximam e, finalmente, a aproximação por um objetivo comum. Esta “fórmula” em si não seria um problema se essa adaptação do romance homônimo de Charles Martin conseguisse transcender os fatos em prol de uma química viva sendo desenvolvida, como tantas vezes vimos nos clássicos filmes de Hollywood (Katherine Hepburn e Humphrey Bogart em “A Rainha Africana” ou Claudete Colbert e Clark Gable em “Aconteceu naquela noite”).

Acontece que em “Depois daquela montanha”, só é possível enxergar esta engrenagem: a motivação de cada acontecimento para alimentar a trama de modo funcional. Os diálogos também não ajudam. Não possuem a força e a consistência de falas-slogan, e nem a verdade de falas mais genuínas. Parece que ficam no meio do caminho… E soam bastante desencontrados.

Apesar do talento de ambos atroes, a química entre eles não é óbvia. Há de se fazer um pequeno esforço para acreditar nesse envolvimento ou, pelo menos, na intensidade sugerida.

Sendo bastante dura, tive a sensação de que o simples fato de o filme estar retratando um amor interracial com dois atores tão lindos e maravilhosos já deveria bastar. É muito bom mesmo ter esse casal em cena, ter a representação de uma união que ainda sofre preconceito até hoje, mas acredito que os diálogos e os acontecimentos poderiam ter construído melhor o crescente de tensão emotiva entre os dois.

Digo isso tudo, mas imagino que o filme seja um bom “água-com-açúcar” para muitas pessoas. Faço uma crítica tão pequena pelo fato de ter tido uma sensação realmente de uma história rasa, que não conseguiu, seja através da linguagem visual, seja através do que se diz, demonstrar o crescimento de um grande amor.

Filme: Depois Daquela Montanha
Direção: Hany Abu-Assad
Elenco: Kate Winslet, Idris Elba, Beau Bridges
Gênero: Drama/Ação
País: Estados Unidos
Ano de produção: 2017
Distribuidora: Fox Film do Brasil
Duração: 1h 47min
Classificação: 12 anos