As regiões gélidas oferecem a paisagem que pode ser, dependendo da ótica, romântica ou sombria. O filme “Neve Negra” (Nieve Negra, Argentina/2017) trabalha perfeitamente com esses dois aspectos do ambiente frio. O diretor Martín Odara traz um drama familiar que gira em torno da casa nas colinas geladas da Patagônia, onde Marcos (Leonardo Sbaraglia) foi criado com os irmãos e, há 30 anos, se desenrolou um misterioso fato que reverbera consequências até os dias atuais. Pretendendo vender a casa, Marcos vai até o local com sua namorada Laura (Laia Costa) tentar convencer Salvador (Ricardo Darín) que não está nem um pouco disposto a se desfazer da propriedade.

O roteiro de Leonel D’Agostino trabalha com a linha narrativa de suspense em que o espectador vai colhendo indícios, com auxílio de cenas em flashback que só irão fazer sentido completo no avançar da história, até chegar à conclusão final. Até lá, somos desafiados a juntar as peças do quebra-cabeças.

O ambiente bucólico e ao mesmo tempo opressor é fundamental na composição da atmosfera. Embora já tenhamos visto o mesmo tipo de trama no mesmo tipo de cenário, funciona a contento. As passagens contemplativas e silenciosas são recursos narrativos para compor o clima que reforça o drama.

Como de praxe, o gigante argentino da atuação Ricardo Darín abrilhanta a trama com sua presença, que aqui é catalisadora do conflito. O final consegue ser surpreendente, mas não tão impactante como se pretendia. Por fim, “Neve Negra” é exitoso em explorar uma potência dramática (como só os latinos sabem) e construir um eficiente suspense se valendo de um aparato básico – locação, elenco reduzido – mas com muita competência em trabalhar com esse material. Peca um pouco por escorregar em alguns clichês do gênero, tanto narrativos quanto de linguagem cinematográfica. E se resta alguma dúvida quanto a Darín ser o maior nome da atuação argentina, basta conferir sua primeira cena no filme.

Filme: “Neve Negra” (Nieve Negra)
Direção: Martín Odara
Elenco: Leonardo Sbaraglia, Laia Costa, Ricardo Darín
Gênero: Drama, Supsense
País: Argentina/Espanha
Ano de produção: 2017
Distribuidora: Paris Filmes
Duração: 1h 30min
Classificação: 14 anos