Crise. A tradicional Associação de Imprensa Estrangeira em Hollywood (HFPA, na sigla em inglês) anunciou os indicados ao 68º Globo de Ouro, considerado uma prévia do Oscar.

Os filmes A rede social, de David Fincher e O discurso do Rei, de Tom Hooper, são favoritos com seis e sete indicações, respectivamente.

Mas o que se percebe é como a qualidade da grande maioria dos filmes indicados é absolutamente questionável, dentro até da mesma associação que vota. Existem indicações que não se justificam e só reforçam a ideia, já levantada em publicações respeitadas como a Vanity Fair e a Time, de que o cinema pós moderno (!) vem passando por uma crise artística sem precedentes. E mais uma vez, a TV faz bonito, principalmente por não entrar nesse processo de infantilização do público que o cinema anda se rendendo.

Vamos às principais indicações para entendermos essa ilógica que predomina no mercado cinematográfico atual:

Melhor filme de Drama

  • A Rede Social
  • A Origem
  • O Cisne Negro
  • O Discurso do Rei
  • O Vencedor

Talvez o mais equilibrado, ainda mais com o acirramento dos filme A Rede Social, O Discurso do Rei e, agora, Cisne Negro. Mas não tem como ignorar que a Associação deixou de fora filmaços como O Escritor Fantasma, de Polanski, e o elogiadíssimo Bravura Indômita, dos Cohen.

Melhor filme Musical ou Comédia

  • Alice no País das Maravilhas
  • Burlesque
  • Red
  • O Turista
  • Minhas mães e Meu Pai

Como sempre, a categoria mais absurda da premiação. Burlesque é tido como uma “palhaçada carnavalesca protagonizado por Christiana Aguilera” (!). O que que é essa indicação de O Turista??? Um banal filme de aventura com Angelina Jolie e Johnny Depp??? Será que só levaram em conta o “star quality” do elenco??? Fico me perguntando qual o argumento para a indicação de Red… Ação até simpática, mas de modo geral, abaixo da média e Alice, que apesar de ser um trabalho deslumbrante, está há anos luz da genialidade de Tim Burton… Ignorar Scott Pilgrim contra o mundo é algo imperdoável (e olha que nem sou nerd ou coisa parecida!). E alguém explica onde que Red e O turista é melhor que o último filme de Woody Allen??? Ainda bem que Minhas Mães e Meu Pai é realmente bom, pois senão esse ano seria conhecido como o ano em que não havia concorrentes na categoria que não esbarrasse na mediocridade.

Melhor direção

  • David Fincher – A Rede Social
  • Darren Arronofsky – O Cisne Negro
  • To Hopper – O Discurso do Rei
  • Christopher Nolan – A Origem
  • David O. Russel – O Vencedor

Curioso que nas indicações a Melhor Direção só ter filmes classificados por Drama, não?

Melhor Roteiro

  • A Rede Social – Aaron Sorkin
  • O Discurso do Rei – David Seidler
  • A Origem – Christopher Nolan
  • Minhas Mães e Meu Pai – Lisa Cholodenko e Stuart Bloomberg
  • 127 Horas – Danny Boyle e Simon Beaufoy

Um tanto controverso, essa categoria demonstra a fragilidade das indicações. 127 Horas, de Boyle enfim é lembrado e tenho realmente muitas dúvidas se o (comentadíssimo) roteiro de Cisne Negro é inferior aos demais…

Melhor atriz em filme de Drama

  • Natalie Portman – O Cisne Negro
  • Michelle Williams – Blue Valantine
  • Halle Berry – Frankie & Alice
  • Nicole Kidman – Rabbit Hole
  • Jennifer Lawrence – Winter’s Bone

Halle Berry é sempre um nome a se considerar. Nicole Kidman tem se redimindo com esse filme. Michelle Williams emociona já no trailer de Blue Valantine; mas parece ser o ano de Natalie Portman. E merecidíssimo.

Melhor ator em filme de Drama

  • Jesse Eisenberg – A Rede Social
  • Colin Firth – O Discurso do Rei
  • Mark Wahlberg – O Vencedor
  • Ryan Gosling – Blue Valentine
  • James Franco – 127 Horas

O Oscar 2010 era para ser de Colin Firth, pelo arrebatador trabalho em A Single Man (me recuso a citar a tradução brasileira…), mas quem sabe esse ano não vai. Jesse Eisenberg é assustador em A Rede Social. Mark Wahlberg e Ryan Gosling vem colhendo elogios por seus filmes e James Franco dá (literalmente) o sangue em 127 Horas. Ano difícil…

Melhor atriz coadjuvante

  • Mila Kunis – O Cisne Negro
  • Helena Bonham Carter – O Discurso do Rei
  • Amy Adams – O Vencedor
  • Melissa Leo – O Vencedor
  • Jacki Weaver – Animal Kingdom

Nenhum desses filmes estrearam ainda por aqui, mas se fossemos avaliar por repercussão a briga é declarada entre Mila Kunis e Helena Bonham Carter.

Melhor ator coadjuvante

  • Andew Garfield – A Rede Social
  • Geoffrey Rush – O Discurso do Rei
  • Christian Bale – O Lutador
  • Michael Douglas – Wall Street: O dinheiro nunca Dorme
  • Jeremy Renner – Atração Perigosa

Garfield é uma das melhores coisas de A Rede Social, assim como Michael Douglas em Wall Street. Jeremy Renner justifica sua badalação em Atração perigosa e Geoffrey Rush é Geoffrey Rush… Briga boa…

Melhor atriz em filme de Comédia ou Musical

  • Anne Hathaway – Amor e outras Drogas
  • Emma Stone – Easy A
  • Julianne Moore – Minhas mães e meu Pai
  • Annette Bening – Minhas mães e meu Pai
  • Angelina Jolie – O Turista

Será que dessa vez Annette Bening será lembrada? E o que que é essa indicação para Angelina Jolie???

Melhor ator em filme de Comédia ou Musical

  • Johnny Depp – O Turista
  • Johnny Depp – Alice no País das Maravilhas
  • Jake Gyllenhaal – Amor e outras Drogas
  • Kevin Spacey – Casino Jack
  • Paul Giamatti – Barney’s Version

Johnny Depp não precisa provar nada para ninguém: é, sem nenhuma dúvida, um dos melhores atores de sua geração. Mas nem O Turista, nem em Alice isso é denotado. Isso tudo para Kevin Spacey ter companhia nas indicações??? E cadê Michael Cera???

Melhor Animação

  • Toy Story 3
  • Meu Malvado Favorito
  • Como treinar seu Dragão
  • Enrolados
  • O Mágico

O Mágico traz o vigor europeu e todos os demais são dignos (mais uma vez a animação rendendo mais que os filmes tradicionais e ditos adultos), mas nada se compara ao êxito, em todos os níveis de Toy Story 3

Melhor Série de TV de comédia ou Musical

  • Glee
  • Modern Family
  • The Big C
  • 30 Rock
  • The Big Bang Theory
  • Nurse Jackie

É inegável que todas as indicadas mantiveram o nível ou se destacaram logo de cara. The Big C é memorável, Glee ainda repercute (muito) bem, The Big Bang Theory teve uma das melhores temporadas e 30 Rock se reinventou; mas Modern Family é genial com tão pouco…

Melhor atriz de série de comédia ou musical

  • Lea Michele – Glee
  • Laura Linney – The Big C
  • Tina Fey – 30 Rock
  • Edie Falco – Nurse Jackie
  • Toni Collette – United States of Tara

Laura Linney é tão boa, mas tão boa que dispensa qualquer anedota explicativa.


Melhor ator de série de comédia ou musical

  • Matthew Morrison – Glee
  • Jim Parsons – The Big Bang Theory
  • Alec Baldwin – 30 Rock
  • Steve Carrell – The Office
  • Thomas Jane- Hung

Disputado e difícil de prever, ainda que sem grandes novidades.


Melhor série de Drama

  • The Good Wife
  • Mad Men
  • The Walking Dead
  • Dexter
  • Boardwalk Empire

Cinco séries muito competentes, mas Scorcese na estréia de Boardwalk Empire diz muito sobre quem será o vencedor. Fato.


Melhor atriz de Série Dramática

  • Jullianna Marguiles – The Good Wife
  • Kyra Sedgewick – The Closer
  • Elizabeth Moss – Mad Men
  • Piper Perabo – Convert Affairs
  • Katie Segal – Sons of Anarchy

Disputado e difícil de prever, ainda que sem grandes novidades.

Melhor ator de Série Dramática

  • Jon Hamm – Mad Men
  • Hugh Laurie – House
  • Michael C. Hall – Dexter
  • Bryan Cranston – Breaking Bad
  • Steve Buscemi – Boardwalk Empire

Jon Hamm sempre merece por Mad Men, assim como Michael C. Hall e seu Dexter. Steve Busceni deve levar principalmente por verter para TV seu incontestável talento na tela grande.

O Globo de Ouro não é nada senão um panorama daquilo que o cinema é/foi neste ano. Não se trata de nada definitivo mas se olharmos para o cinema da década de 70, 80 e até 90 veremos que se progredimos tecnicamente (Avatar), regredimos artisticamente (e isso engloba até o endeusado cinema europeu, vide o novo filme de Godard). A pergunta que fica é, qual o caminho do cinema a partir de agora?

  • Você não poderia estar mais certo. Qual é o caminho do cinema a partir de agora? Depois de tantas inovações técnicas, mas que não são suficientes para criar, sozinhas, uma obra de arte.
    Ana Maria Bahiana discute isso constantemente em seu blog, e ela mesma, votante dos Globos de Ouro, observa a mediocridade de vários títulos indicados.
    Parece que a salvação está mesmo na TV, com seus projetos cada vez mais ousados e arriscados – até mesmo em casos como “Modern Family”, que como você disse, é genial com tão pouco.