“Alien: Covenant” estreou nesse final de semana (leia a crítica aqui). O novo filme da franquia se situa após o prelúdio “Prometheus” e mostra o surgimento do xenomorfo da forma como o conhecemos. Tudo começou em 1979 em “Alien: O Oitavo Passageiro”. Com uma direção precisa de Ridley Scott, era uma ficção científica de terror passada em uma nave espacial, com um clima claustrofóbico, e se tornou um clássico definitivo.

Na época, o público estava ávido por sci fi, depois do estouro de Star Wars, e também assistia ao nascimento de um novo gênero do terror, o chamado slasher. Daí, a mistura trazida por Alien se tornou um sucesso instantâneo. Sete anos depois veio a sequência “Aliens: O Resgate”, que manteve a qualidade do original. Dirigida por James Cameron, a continuação trazia alta carga de ação e o memorável embate de Ripley contra a Rainha Alien. A franquia ficou no esquecimento depois do terceiro e quarto filmes, que fracassaram nas bilheterias. Até que Ridley Scott resolveu voltar a esse universo contando uma história de origens. Esperava-se que Neill Blomkamp retomasse as continuações, com Sigourney Weaver no elenco, mas o projeto está engavetado.

Aproveitando o ensejo da estreia em circuito nacional, vamos relembrar os dois filmes clássicos, que são os pilares da franquia, em três matérias da Revista Ambrosia que você confere nos links abaixo.

Alien: O Oitavo Passageiro

Aliens: O Resgate

30 Anos de “Aliens: O Resgate”