Steven-Spielberg---Avatar

Qualquer pessoa civilizada (no bom e no mal sentido) conhece Steven Spielberg, um cineasta completo que já passou por praticamente todos os gêneros cinematográficos. O que muitos desconhecem sobre o cineasta é seu lado empresarial, Spielberg é um dos nomes mais bem sucedidos do cinema e hoje é dono da Dreamworks, um dos maiores estúdios de cinema da atualidade.

Dá para imaginar o poder de influência de seu nome, não? Confira abaixo o que Spielberg disse sobre Avatar após assistir a produção de James Cameron.

A última vez que eu sai do cinema me sentindo assim foi quando assisti pela primeira vez Guerra nas Estrelas (Star Wars).

Guerra nas Estrelas é considerado por muitos como a grande revolução do gênero ficção-científica nos cinemas, além de ser o maior sucesso comercial de uma obra de cinema de todos os tempos. Uma Nova Esperança, o primeiro filme da franquia, custou 11 milhões de dólares e faturou praticamente 800 milhões mundialmente. Uma história popular no meio, e que vale ser ressaltada neste momento, é que George Lucas exibiu o primeiro Star Wars antes de pronto para seu amigo Steven Spielberg e para seu mentor Brian DePalma. Enquanto DePalma criticou o filme, Spielberg previu que o filme seria um grande sucesso e encorajou Lucas em sua empreitada…

Fonte /film

  • Álvaro Guedes

    Muito bem Spielberg, por tudo o que você representa, creio que darei uma chance ao circo colorido do Cameron.

  • Sphynx

    Spielberg deve ter se sentido é com uns vinte anos de novo~

  • Lívia Leão

    Fui só eu ou alguém percebeu que AVATAR parece uma versão futurista de Pocahontas? Até a “árvore sagrada” está lá!

  • Na minha opinião a grande revolução de Avatar não é a história. Se você viu Dança com Lobos você viu Avatar. A grande revolução de Avatar está na maneira que essa história foi apresentada, no CG, no 3D e na riqueza do novo “universo” que Cameron criou.

  • Fabricio Longo

    É igualzinho… a Neytiri até lembra a Pocahontas. Coloca umas naves e pronto…

    Mesmo assim, o filme é divertido.

  • paesleme

    Dança com Smurfs, em 3D.

  • Fagner Lima

    Avatar é uma revolução pro cinema, no quesito tecnológico. E só.
    Assim como o primeiro Star Wars fez o mesmo em sua época.

    Eu me diverti muito vendo o novo filme do Cameron, mas o filme é muito fraco no roteiro e a direção é boa, mas poderia ser sensacional. O que não entendo é como nesses 10 a produção não pôs um ou dois roteiristas pra refinar a história, além disso esperava por algo mais ousado, mais revolucionário na direção.

    O filme não tem nada de novo que não seja técnico, o filme segue um modo de direção clássico – a comparação do Spielbeg é bem pontual: Avatar tem uma direção do mesmo nível de um filme de 30 anos, neste quesito o filme é conservador e não revolucionário.

    Fico ansioso para ver essa tecnologia nas mãos de diretores mais criativos e modernos, como o Guilhermo del Toro.

    Braços!

  • Arthur Carneiro Ferreira

    UMA IMAGEM VALE MAIS DO QUE MIL PALAVRAS.

    Nenhum filme é livre de clichês. Nenhum filme é Original. O que acontece é que dependendo de como você organiza sua inspirações o filme pode parecer original ou um cópia descarada.

    Todos nós somos nada mais nada menos do que um grande clichê da Natureza.

    Pocahontas do Espaço? Dança com Lobos ? Avatar? Ambos contam com uma estória de FUNDO quase idênticas, porém é um pano de fundo básico para se criar todo um enredo, e james optou pelo basico primeiramente para criar em cima o complexo. Mas engana-se quem acha que o roteiro esta ali, no “Pocahontas”.

    Avatar usa a metalinguagem de composição da imagem, da estética para transmitir sua mensagem. Sem grandes diálogos. Assim como acontece em 2001 uma odisséia no espaço.
    Cinema é IMAGEM primeiramente. Não se esqueçam.

    Muitos falam que se retirassem os efeitos visuais do filme, não sobraria nada. Isso é o mesmo que dizer que se retirar os diálogos de Doubt (2008) o filme não seria nada.

    Não se pode pensar dessa forma com cinema. Criticar a forma de “dialogo” que o diretor escolheu e insensato. É burrice.

  • “Nenhum filme é livre de clichês. Nenhum filme é Original.”

    Experimente algo que não seja da América do Norte.

    Gilson

  • May Cry

    Cara, é só um bom filme de aventura, bem feito, em 3D. Não é uma história “mind- fucking”, nem é revolucionário.

  • May Cry

    E a coisa do 3D, é bacana, mas também está sendo superestimada.

  • Maria Clara

    Pernas!