em

Um diretor Veloz e Furioso para Highlander

Justin Lin, o diretor que conseguiu reerguer a franquia Velozes e Furiosos depois do vergonhoso + Velozez + Furiosos com dois filmes que praticamente ressuscitaram a carreira de Paul Walker e Vin Diesel, quer dizer, acho que ressucitou. Eles ainda andam sumidos.

De qualquer forma, a Summit Entertainment chamou o diretor para tocar o remake de Highlander, um dos maiores cults de ficção científica dos anos 80. Junto com o diretor, vem o produtor da quadrologia Velozes e Furiosos, Neal H. Moritz. O roteiro está nas mãos de Art Marcum e Matt Holloway, que escreveram o primeiro Homem de Ferro.

highlander

Em Highlander, vemos a história de guerreiros de outro planeta/dimensão que são exilados na Terra e lutam entre si até a morte. Só que eles só podem ser mortos ao serem decaptados. Aquele que sobreviver por último, ganho o prêmio. Porém, como vimos no original, cada um dos guerreiros é mandado a um canto isolado do planeta e deve se virar para encontrar o outro, o que pode levar séculos. O termo Highlander se refere àqueles oriundos das regiões das Highlands na Escócia, que no caso, é onde surge Connor MacLeod, o protagonista do primeiro filme.

Agora, vamos ver qual será o tom adotado nesse remake.

J.R. Dib

7 comentaram

Deixe sua opinião!
  1. Que história é essa de guerreiros de outro planeta/dimensão? Sou fã de Highlander, de ter assistido os filmes, as duas séries de tv e o desenho animado. Os imortais são pessoas normais que nasceram destinadas a se tornar imortais, e essa imortalidade é “ativada” caso a pessoa tenha uma morte subita (acidente ou assasinato). Ela ressucita imortal e não envelhece mais a partir dai. Um imortal pode sentir outro caso esteja por perto, e quando corta a cabeça de um imortal, além e mata-lo, pega todo seu conhecimento e poder. Adooooro Highlander.

  2. Sou fã de Highlander do primeiro filme que é o que interessa, o resto é fanfarronice pura.
    Portanto pra mim será sempre uma história de fantasia, com guerreiros imortais mágicos que arrancam as cabeças uns dos outros.

    Mas é verdade que o segundo filme já avacalhou tudo inventando que eles na verdade eram de uma raça de outro planeta e que foram mandados pra Terra (momento em que eu parei de assistir e fui rever o original).
    Aliás as seqüências de Highlander são material excelente pro “Sai no meio”.

  3. “Ouvi o que foi dito, pela boca do escocês que vivia para sempre: cautela com os falsos profetas que blasfemam contra o sagrado. Eu não estava lá, quando o coro ‘Rainha’ cantou que éramos os ‘Princípes do Universo’? Aqueles foram os tempos da verdade e do Prêmio. Hoje estamos mergulhados em trevas. Só pode haver um, e que este um seja o primeiro.” Apocalípse Nerd (apócrifos do Livro do Imortal), Cáp. 1536, vers. 89-92

  4. Porque eu estou sentindo um cheiro de Smalville no ar? Remake?! Vai ter um highlander adolescente e univesitário?!
    Porque eles não deixam os clássicos em paz?

  5. Eles não deixam em paz pois pensam que algo que fez sucesso no passado pode fazer sucesso no presente. Existe um público mais jovem que não conhece Highlander, e acho legal trazer esse universo até eles. Só não vale avacalhar.

  6. Me dá tristeza toda vez que eu lembro das sequências de Highlander, o que era pr’a ter entrado no panteão mítico de filmes como “Star Wars”(se bem que essa ultima trilogia avacalhou tudo) e “Blade Runer”.
    Foi tristeza atrás de tristeza a começar pelo segundo(Eram os Imortais Astronautas?!)
    Sabemos que geralmente sequências exitem unicamente par ganhar dinheiro, e que saudavel é o filme que consseguese livrar dessa praga, mais quem gostou do primeiro não se satisfaz fica querendo saber várias coisas sobre o passado de o’conor, derrepente pode haver aí um roteiro digno?,…
    De mais à mais só prestou o primeiro e nada mais seria melhor mesmo deixar o clássico em paz….

Deixe uma resposta

Publicado por J.R. Dib

J.R. Dib

A cultura, o cinema, a arte, a justiça e a literatura unidas em prol de uma melhor sociedade. Advogar, viver e difundir cultura e aprender a cada dia mais, buscando novos desafios e descobrindo a beleza e a doçura de cada objetivo como Advogado, Editor e Colunista.

Festival do Rio: A Todo Volume (It Might Get Loud)

Filme do He-Man agora nas mãos da Sony Pictures.