Em seu terceiro e último dia, o “Geek & Game Rio Festival” fechou com chave de ouro sua “ trilogia” e-Sports iniciada com “ Rainbow Six” (na sexta-feira, dia 21), seguida por “Counter Strike” (no sábado dia 22) e agora concluída com “League of Legends”. O famoso jogo que tem deixado o mundo gamer de joelhos nos últimos anos tem como premissa básica a de que cada time – no caso aqui dois – deve traçar uma estratégia e consequentemente montar um esquadrão com os personagens certos, para que assim possam sobreviver a hordas de NPC’s ( Personagens Não Jogáveis) inimigos enviados pelo jogo.

No caso da competição, o modelo escolhido foi o de confronto direto entre as duas equipes, o que acaba por exigir que o jogador saiba que tipo de personagem ele precisará escolher para sair vitorioso. Nessa partida no último dia da arena do GGRF, as duas equipes selecionadas para o embate foram a INTZ Genesis e a ProGaming. A primeira é a atual campeã brasileira do CBLoL (Campeonato Brasileiro de League of Legends) e também a campeã do ano retrasado, tendo muitas das suas peças base mantidas. Já a segunda é uma equipe que possui muitas ramificações em diversos e-Sports, mas que ainda busca o título nacional.

A cada vez maior concentração de pessoas na “Game Stadium” montada no Riocentro já dava indícios de que a partida seria equilibrada e ambas as equipes encontrariam torcidas efusivas (contra e a favor). O estudante Breno Alves, 19 anos, mostrou absoluta confiança na vitória do INTZ. “Acho que será fácil. O Shini é um jogador de nível superior ao adversário” previu. Em contrapartida a estudante Leticia Figueiroa, 18 anos, mantém-se fiel ao ProGaming. “ Acho que a partida será equilibrada mas eles conseguirão. Como equipe, tem tudo para vencer no CBLoL”, disse.

Dividido em cinco partidas o esperado era que o equilíbrio das equipes realmente se fizesse forte, entretanto não foi o que aconteceu. Logo ao fim da primeira partida, os “INTZ Genesis” abriam uma vantagem de 1×0 em relação ao adversário, graças a diversas combinações de ataques e execuções dos famosos “Tetra Kill”, “Quadra Kill” e “Penta Kill”, que acabam por garantir um maior dano a pontuação de vida adversária. Até o fim do quinto embate o resultado já era irreversível. 3×0 e vitória da INTZ.

Mais para o momento da premiação, uma singela homenagem a um dos grandes nomes do futebol nacional foi realizada em uma partida gamer. O troféu recebido pela INTZ levava o nome do falecido campeão mundial da copa de 70, Carlos Alberto Torres.