em

Contos de Mentira, de Luisa Geisler

Há muitos novos talentos da literatura brasileira que ainda procuram se encontrar, mas aqui temos Luisa Geisler, gaúcha de 20 anos, que sabe exatamente o caminho que pretende percorrer. Os 17 contos que compõem Contos de Mentira (Editora Record) tem os pés no mesmo chão que pisamos todo dia e também tentamos entender. Uma escrita segura de si que apresenta diversas prosas que se comunicam em várias línguas, várias músicas e várias incompatibilidades.

Assumir diferentes vozes não é nenhum grande mérito na literatura, mas criar universos habitáveis em algumas poucas páginas é o grande trunfo. Luisa Geisler coloca-se no verdadeiro lugar do autor, que é em todos os lugares e em lugar nenhum. Seus protagonistas são incompletos, solitários, procurando uma letárgica catarze para si. Ou você reconhece seus personagens em pessoas do seu convívio ou deseja conhecê-los.

No conto, ao contrário de um romance onde o leitor investe horas e dias na narrativa, o final não é uma das prioridades. O ritmo da prosa, a ambientação e o que sai da cabeça e da boca dos protagonistas é que agarram o leitor. O ponto final é apenas uma reticência. A própria capa do livro diz muito: saber o que mostrar, encantar/confundir e então, um abraço, tchau. Luisa entende muito bem disso.

Talvez os contos que melhor exemplifiquem o que quero dizer sejam “Apenas Este Réquiem Para Tantas Memórias“, que abre o livro com a história de um fotógrafo tendo sua personalidade e nacionalidade desintegrada ao pular de aeroporto em aeroporto, e “Ovelha Branca“, que mostra o embate reprimido entre dois irmãos, um hetero e outro homosexual. Meu preferido, mesmo, é “A Laranjeira“, um causo de bar com seu forte acento gaúcho, história inteligente e humor negro. O livro não deixa de ter dois pontos baixos,  dois contos que realmente não funcionam e que não fariam falta na edição, mas que em nada prejudicam a leitura.

Analisando por que, de tantos outros novos escritores com talento por aí, o Prêmio SESC de Literatura 2010 foi para Luisa Geisler, senti que a urgência de suas histórias acompanha bem o imediatismo de todas as transformações por minuto que acontecem no mundo de hoje. A leitura me tomou semanas, lendo dois ou três contos de cada vez, para que o gosto de cada narrativa não saísse da boca tão rapidamente e fosse se transformando. Contos de Mentira é uma grata e jovem surpresa.

[xrr rating=4/5]

Título: Contos de Mentira
Autora: Luisa Geisler
Editora: Record
Páginas: 128
Formato: 14×21
Gênero: Contos

Deixe uma resposta

Publicado por Henrique Amud

Natural de Manaus, ainda um turista no Rio de Janeiro. Quadrinhos, música e cinema parecem ser seus grandes interesses, porém isso será comprovado apenas após a autópsia.

Oportunista, “GLEE 3D” mostra o lado bom do GLEE TV

Action Comics 01 Reboot 02/52