em , ,

Nada Será Como Antes é Elis em forma de livro

Muito se ouviu falar sobre o filme Elis lançado em 2016, que tem como enredo a vida da cantora Elis Regina. Entre as opiniões, houve elogios à atuação de Andreia Horta como protagonista, mas também críticas à falta de intensidade do filme, tendo em vista a nada branda personalidade da cantora retratada.

Porém, por melhor e mais interessante que possa ser uma produção cinematográfica sobre ídolos e figuras públicas, a realidade é que o cinema dificilmente consegue retratar a vida, obra, personalidade (e polêmicas) que envolvem esses grandes artistas com a devida profundidade. Ao menos não com o detalhamento que um livro pode oferecer.
E essa intensidade, baseada em muita pesquisa e entrevistas, é oferecida pelo escritor Julio Maria no livro intitulado Elis Regina – Nada Será Como Antes.

Diferente do que muitos pensam, a obra lançada em 2015 não foi a primeira biografia sobre a vida da pimentinha. Ainda em 1985, a jornalista Regina Echeverria lançou o livro Furacão Elis. Apesar de muito bem escrita, a obra de Echeverria não atinge a profundidade necessária para retratar uma artista no nível de Elis Regina. Ao menos não com a maestria que fez Julio Maria. Talvez a distância de tempo tenha colaborado para trazer uma biografia mais clara e completa.

Nada da vida de Elis escapou ao escritor. Do início da carreira, no clube do guri em POA ao sucesso na TV e nas turnês nacionais e internacionais. Também constam seus mais variados romances (dos mais conhecidos com Bôscoli e Mariano, até os não tão divulgados como o jornalista Nelson Motta), além dos diversos amores platônicos que a cantora inspirou. Todas as facetas de Elis são apresentadas aos leitores. A confiança demonstrada no palco versus a insegurança e instabilidade emocional dos bastidores, a busca incansável pela perfeição, a simpatia e solidariedade, o ciúmes, o humor instável, as emoções sempre exacerbadas, tanto de amor quanto de ódio.

Elis era muitas em uma só, e todas conseguem ser retratadas por Julio Maria. O escritor também não foge das polêmicas e esclarece todas as circunstâncias e fatos que antecederam e circundaram a morte da cantora, fato que abalou o país e deixou muitas dúvidas e desconfianças.

Antes do primeiro capítulo, o autor traz uma espécie de “prólogo”, narrando com uma precisão surpreendente os últimos instantes de vida de Elis. E a partir do primeiro capítulo a vida da cantora é retratada de maneira cronológica, precisa e envolvente. Como afirmou Zuza Homem de Mello, Nada Será Como Antes é o livro pelo qual nós, fãs de Elis Regina de todas as gerações, esperávamos pacientemente por tantos anos.

Deixe uma resposta

Publicado por alanambof

alanambof

Jornalista, gaúcha, 23 anos. Apaixonada por arte e cultura. Leitora compulsiva, bailarina clássica nas horas vagas e viajante sempre que possível.

Quatro perguntas para o autor Tiago Velasco

La La Land traz sopros de lembranças deliciosas dos musicais clássicos de Hollywood