em

Grammy 2014: Mais uma demonstração auto afirmativa da indústria do disco

O Grammy tem se tornado cada vez mais uma festa de auto afirmação da indústria fonográfica do que uma confraternização pelos louros colhidos (leia-se vendas astronômicas) durante o ano que passou. Como discos já não vendem mais milhões de cópias, resta à indústria fonográfica mostrar, com shows de medalhões como Paul McCartney, Madonna e Stevie Wonder, que ainda tem poder de fogo. Iniciada com uma quentíssima performance do casal mais poderoso do showbusiness americano, Beyoncé e Jay Z, a 56ª cerimônia do Grammy, apresentada  pelo rapper L.L.Cool J no Staples Center, em Los Angeles não teve muitas surpresas.

Como já se esperava os D.Js franceses do Daft Punk foram os grandes vencedores com 4 prêmios melhor álbum (Random Access Memories) e melhor gravação do ano (Get Lucky), assim como melhor atuação pop de um duo ou grupo (Get Lucky) e melhor disco de música eletrônica ou dance (Random Access Memories). A dupla manteve a tradição de se manter em silêncio, e o porta voz a cada vez que subiam no palco era o colaborador Pharrell Williams, assim como a dupla Macklemore e Ryan Lewis, que levaram melhor artista revelação e dominaram nas categorias de rap, onde seu The Heist foi eleito melhor álbum e a música Thrift Shop escolhida melhor canção e melhor atuação do gênero.

images

Como também era esperado, a neozelandesa Lorde, de apenas 17 anos, que teve seu single de estreia entre as músicas mais tocadas de 2013, ganhou prêmios expressivos: melhor canção (composição) do ano por Royals, e o de melhor atuação pop solo, também por Royals. Jay Z venceu na categoria melhor colaboração de rap, categoria na qual concorria com duas canções, a outra era o duo com a ‘patroa’, Drunk in Love.

Surpresa mesmo foi na categoria melhor álbum country, em que Kacey Musgrave com seu Same Trailer Different Park bateu os favoritos Two Lanes of Freedom de Tim McGraw e Red de Taylor Swift. O havaiano Bruno Mars levou o prêmio de álbum de pop vocal com Unorthodox Jukebox e comemorou sapateando no palco. Na categoria canção de rock a união de Paul McCartney com os membros remanescentes do Nirvana em Cut Me Some Slack desbancou fortes candidatos como Doom and Gloom dos Rolling Stones e Is God Dead do Black Sabbath. O representante brasileiro desse ano, o grupo de samba jazz paulista Trio Corrente, saiu vitorioso com seu disco Song For Maura na categoria melhor álbum de jazz latino.

images2

Nas apresentações ao vivo, Beyoncé deixou muita mulher com raiva com sua silhueta perfeita após dar à luz recentemente, e muito marmanjo com raiva de Jay-Z.Lorde se esforçou, mas sua Royals ao vivo não teve a mesma força da gravação. Kate Perry surgiu de dentro de uma bola de cristal em um cenário sombrio cercada de dançarinos e executou Dark Horse, comreferência a caça às bruxas, com fogueira e tudo. Teve show de acrobacia à la Cirque du Soleil com Pink na música Try, sobrevoando a plateia, que eventualmente podia girá-la. Em seguida, a cantra fez dueto com Nate Ruess na música Just give me a reason

260114-grammy-2014-beyonce-jay-z-590x423

Houve também os encontros de Robin Thick com Chicago, Keith Urban com Gary Clark Jr, Sara Bareilles e Carole King, mas a colaboração mais esperada da noite era o possível reencontro, não confirmado, dos dois Beatles vivos. Primeiro os integrantes do Black Sabath, Ozzy Osbourne, Tommy Iommi e Geezer Butler introduziram a apresentação de Ringo, que executou seu clássico Photograph.

paul_e_ring_2

Mais adiante, a pretty woman Julia Roberts lembrou os 50 anos da aparição do fab four na TV americana dando inicio à beatlemania do lado de cá do Atlântico. Todos já sabiam o que estava por vir, de certo houve uma pequena decepção. Paul McCartney e Ringo Starr de fato se juntaram no palco, mas para executar Queenie Eye, música do álbum New, lançado por Paul em 2013. E  Ringo nem era o baterista principal, estava apenas fazendo as bases de apoio para Abe Laboriel Jr., o batera da banda de Paul. Não foi dessa vez que vimos a metade que sobrou dos Beatles tocando um clássico de quando eram fabulosos. Outro grande momento foi a execução de Get Lucky com Daft Punk, Pharrell, Nile Rodgers, lendário guitarrista do Chic e participação especial de luxo de Stevie Wonder. Nesse momento a plateia sacudiu como em uma pista de dança. Até Yoko Ono entrou no embalo.

Metallica Tocou seu cavalo de batalha One com participação do pianista erudito chinês Lang Lang. A apresentação foi logo após a homenagem de Jared Letto, do 30 Seconds To Mars, a Lou Reed, falecido em outubro. O Metallica gravou o álbum Lulu com o artista novaiorquino que foi execrado pela crítica, e o guitarrista Kirk Hammett estava usando uma camiseta com a capa do disco Transformer, clássico de Reed.Também se destacou a apresentação de Macklemore e Ryan Lewis no hino anti homofobia Same Love, com participação de Mary Lambert e Madonna, que entrou de bengala devido a um acidente no pé, que fez um snipet de Open Your Heart, e nesse momento 33 casais, inclusive do mesmo sexo, na platéia trocaram alianças, tendo Queen Lathifa “abençoando” as uniões .

music-grammy-awards-2014-macklemore-madonna

A festa se encerrou com mais rock, com a junção do Nine Inch Nails com Queens of the Stone Age, com Dave Grohl na bateria e participação do guitarrista Lindsay Buckingham do Fleetwood Mac. Primeiro tocaram Copy of A do grupo de Trent Reznor e em seguida My God is the Sun do Queens. No twitter Reznor xingou a produção da premiação, pelo corte precoce do show para que subissem os créditos e fosse exibida uma propaganda. “A maior noite para a música… ser desrespeitada. Um FUCK YOU sincero, caras”, disse ele na rede social.

Confira os vencedores:

Álbum do ano
Random Access Memories – Daft Punk

Canção do ano
Royals – Lorde

Artista revelação
Macklemore & Ryan Lewis

Single do ano
Get Lucky – Daft Punk e Pharrell

Melhor performance pop de duo ou dupla
Get Lucky – Daft Punk e Pharrell

Melhor apresentação pop solo
Royals – Lorde

Melhor álbum vocal pop
Unorthodox Jukebox – Bruno Mars

Melhor álbum country
Same Trailer Different Park – Kacey Musgraves

Melhor canção de dance
Clarity – Zedd Featuring Foxes

Melhor álbum de música eletrônica/dance
Random Access Memories – Daft Punk

Melhor álbum pop vocal tradicional
To Be Loved – Michael Bublé

Melhor álbum instrumental pop
Steppin’ Out – Herb Alpert

Melhor apresentação de rock
Radioactive – Imagine Dragons

Melhor apresentação de metal
God Is Dead? – Black Sabbath

Melhor canção de rock
Cut Me Some Slack – Dave Grohl, Paul McCartney, Krist Novoselic & Pat Smear

Melhor álbum de rock
Celebration Day – Led Zeppelin

Melhor álbum de música alternativa
Modern Vampires Of The City – Vampire Weekend

Melhor clipe
Suit & Tie – Justin Timberlake e Jay Z

Melhor performance de R&B
Something – Snarky Puppy With Lalah Hathaway

Melhor performance tradicional de R&B
Please Come Home – Gary Clark Jr.

Melhor canção de R&B
Pusher Love Girl– James Fauntleroy, Jerome Harmon, Timothy Mosley & Justin Timberlake

Melhor álbum urbano contemporâneo
Unapologetic – Rihanna

Melhor álbum de R&B
Girl On Fire – Alicia Keys

Melhor álbum de rap
The Heist – Macklemore & Ryan Lewis

Melhor performance de rap
Thrift Shop – Macklemore & Ryan Lewis Featuring Wanz

Melhor colaboração de rap
Holy Grail – Jay Z Featuring Justin Timberlake

Melhor canção de rap
Thrift Shop – Ben Haggerty & Ryan Lewis, songwriters (Macklemore & Ryan Lewis Featuring Wanz)

Melhor performance solo country
Wagon Wheel – Darius Rucker

Melhor performance country em duo ou grupo
From This Valley – The Civil Wars

Melhor canção country
Merry Go ‘Round – Shane McAnally, Kacey Musgraves & Josh Osborne, songwriters (Kacey Musgraves)

Melhor álbum de reggae
Ziggy Marley in Concert – Ziggy Marley

Melhor álbum de blues
Get Up! – Ben Harper e Charlie Musselwhite

Melhor álbum de world music (dois vencedores)
Savor Flamenco – Gispsy Kings
Live: Singing For Peace Around The World – Ladysmith Black Mambazo

Melhor álbum de new age
Love’s River – Laura Sullivan

Melhor álbum improvisado de jazz solo
Orbits – Wayne Shorter

Melhor álbum vocal de jazz
Liquid Spirit – Gregory Porter

Melhor álbum de jazz instrumental
Money Jungle: Provocative In Blue – Terri Lyne Carrington

Melhor álbum conjunto de jazz
Night In Calisia – Randy Brecker, W_odek Pawlik Trio & Kalisz Philharmonic

Melhor álbum latino de jazz
Song For Maura – Paquito D’Rivera And Trio Corrente

Melhor DVD de música
Live Kisses – Paul McCartney

Melhor trilha sonora para cinema
007 – Operação Skyfall – Thomas Newman

 

Deixe uma resposta

Publicado por Cesar Monteiro

Cesar Monteiro

Um viciado em cultura pop que adora compartilhar seu vício com o maior número de pessoas possível

Breve análise dos 9 indicados ao Oscar de Melhor Filme de 2014

Salvem o Estação