em

De Beatles a Marty McFly: Sete covers de Chuck Berry que se tornaram marcantes

Chuck Berry, o pai do rock n’ roll, faleceu ontem (sábado, 18 de março), aos 90 anos. O título não é em vão. Se não fosse por ele, Elvis Presley, Beatles e Rolling Stones simplesmente não existiriam. Sua relevância sempre foi reverenciada, com versões de suas músicas feitas por seus discípulos. Para homenagear o legado de Chuck Berry, fizemos um apanhado de versões de seus maiores clássicos que ficaram imortalizadas na cultura pop.

ROLL OVER BEETHOVEN (Beatles): Os Beatles fizeram no album “With the Beatles” uma energética versão da incendiária ‘Roll Over Beethoven’. De fazer o mestre sentir orgulho

CAROL (Rolling Stones): Os Rolling Stones também faziam cover de Chuck Berry no início da carreira. ‘Carol’ é um deles. E ficou à altura da versão original. E continuaram executando ao longo da carreira.

TOO MUCH MONKEY BUSINESS (The Yardbirds): O Yardbirds de Eric Clapton tinha como um dos carros-chefe essa versão de ‘Too Much Monkey Business’.

SCHOOL DAYS (AC/DC): Na edição australiana do álbum “T.N.T.”, de 1975, o AC/DC delineou essa versão com um riff de sensualidade lenta enquanto o então vocalista Bon Scott dava um ar zombeteiro à letra, como um garoto malcriado.

BROWN EYED HANDSOME MAN (Nina Simone): A diva soul Nina Simone também reverenciou Berry no seu disco “High Priestess of Soul”. E o fez com muita personalidade criando essa bela versão

https://www.youtube.com/watch?v=0IArdg1ibcg

JOHNNY B GOODE (Marty Mcfly & the Starlighters): Uma das cenas mais divertidas de “De Volta para o Futuro” é a em que Marty McFly “inventa” o rock, tocando a música no baile da escola de seus futuros pais em 1955. Com direito a duck walk.

YOU CAN’T CATCH ME (John Lennon): O disco de covers de 1975, intitulado “Rock N’ Roll”, trazia essa versão de ‘You Can’t Catch Me’. O álbum foi constituído de releituras de clássicos das influências de Lennon. Berry não podia ficar de fora.

Deixe uma resposta

Publicado por Cesar Monteiro

Cesar Monteiro

Um viciado em cultura pop que adora compartilhar seu vício com o maior número de pessoas possível

Kiko Dinucci apresenta Cortes Curtos no Rio de Janeiro

“Punho de Ferro” fecha dignamente o ciclo dos heróis da Netflix