Em um país marcado pela opressão como o Irã, a expressão “ganhar voz” pode assumir um sentido quase literal. E é justamente o que acontece no novo romance de Parinoush Saniee, autora do best-seller O livro do destino, banido duas vezes pelo governo iraniano. Se em seu primeiro livro a trama gira em torno de uma mulher e de suas duras experiências ao longo de décadas, agora, é um menino de apenas quatro anos que está no centro da história.

Escondi minha vozsaindo pela Bertrand / Record, conta a história de Shahab que, aparentemente, não tem nenhum problema e os próprios médicos garantem que ele é saudável. Apesar disso, para preocupação da mãe e desgosto do pai, ele não fala e acaba sendo visto como o estranho da família e é chamado de tonto pelos tios e primos.

A história de Shahab começa a mudar quando sua avó materna passa algumas semanas com a família e desenvolve com o menino uma relação de confiança e cumplicidade. Aos poucos, ele se sente seguro para falar, começa a frequentar a escola e demonstra ter interesse especial pelas palavras escritas.