O escândalo de assédio sexual envolvendo o ator Kevin Spacey caiu como uma bomba no mundo do entretenimento. O ator principal da série “House of Cards” teria molestado o ator Anthony Rapp, na época com apenas 14 anos. Depois vieram outras acusações de abuso por parte de Spacey, dessa vez de membros da MRC, produtora da série. Foram oito no total. Em seguida a Netflix decidiu demitir o ator.

House of Cards iniciou a bem sucedida empreitada da Netflix com conteúdo próprio. O drama político, criada por Beau Willimon, tem como protagonista Francis Underwood, um político ambicioso que almeja um alto cargo público em Washington, D.C.

A gigante do streaming publicou um comunicado. “Netflix não se envolverá mais em nenhuma produção de House of Cards que inclua Kevin Spacey. Vamos continuar trabalhando com a MRC durante o hiato para avaliar nossos próximos passos com relação à série. Também decidimos que não seguiremos com o lançamento de Gore, que estava em pós-produção e era estrelado e produzido por Kevin Spacey”. Assim sendo, como ficará House of Cards sem seu protagonista?

A hipótese mais provável é que Frank Underwood morra e sua esposa Carrie assuma o protagonismo. Na verdade ela já vinha assumindo a dianteira na última temporada. Mas agora não terá o suporte do marido. Outra hipótese é a Netflix abandonar a série e investir em um derivado.

De acordo com o site da revista norte-americana Variety, os executivos da empresa de streaming estão considerando várias ideias para a nova produção. Uma delas, por exemplo, seria a de centrar a nova história no personagem Doug Stamper (Michael Kelly). O roteiro ficaria com Eric Roth, que já atuou como produtor-executivo nas quatro primeiras temporadas de House of cards e atualmente trabalha na série The alienist, da TNT.

É muito pouco provável que a Netflix cancele a série sem um desfecho. Da forma que for, certamente encontrarão um caminho. Afinal, quem esperava que Narcos manteria sua qualidade mesmo sem Pablo Escobar?