Na última semana de agosto, o noticiário econômico mundial foi tomado por matérias alarmantes sobre como a desvalorização do iuan e a diminuição do crescimento da economia na China vêm provocando turbulências nos mercados financeiros mundo afora. A influência enorme que a economia chinesa hoje exerce sobre o mundo capitalista  – no mundo real – é apenas uma das inspirações da trama de ficção de “O projeto Ascendant”, livro de estreia de Drew Chapman que chegou às livrarias em setembro pela Record.

O enredo acompanha o protagonista Garrett Reilly, um jovem inconsequente de 26 anos que ganha muito dinheiro trabalhando numa corretora de Wall Street. Ele é o melhor funcionário do lugar graças a uma habilidade especial: reconhecer padrões que ninguém mais vê. É por causa disso que, um dia, ele percebe uma quantidade enorme de títulos da dívida pública do governo dos Estados Unidos, capaz de destruir a economia americana, sendo oferecida de uma vez no mercado.

O que há por trás da tal manobra é só o começo de uma verdadeira guerra invisível sendo travada entre China e EUA em meio a números e ações. Ainda virão pela frente desvalorizações em massa no mercado imobiliário e até a queda total dos servidores do Google. As Forças Armadas americanas logo percebem que Garrett é o homem certo para capitanear o Projeto Ascendant, e devolver na mesma moeda os ataques chineses. O primeiro problema é que Garrett não é muito bom em receber ordens.

“O que torna Garrett especial para mim é, em primeiro lugar, ele ser jovem. Sinto que há muitos thrillers em que o protagonista é mais de meia idade, mais sisudo. Queria que Garrett representasse uma nova geração de americanos, uma nova geração de heróis americanos. Em segundo lugar, ele é subversivo. Ele não vai fazer o que mandam. E ele também está em conflito com questões relacionadas a lealdade e patriotismo. E acho que é uma questão para muitos americanos hoje, especialmente desta geração. Garrett tem 26 anos, Edward Snowden é desta geração. Esses caras são heróis ou traidores?”, provoca Chapman, em entrevista sobre o livro para o site Ententaiment.

Ao lado de uma equipe de militares e civis, Garrett vai correr contra o tempo para tentar descobrir as motivações dos chineses enquanto se desvia das autoridades que não gostam nada da ideia de ter um geniozinho de Wall Street comandando uma guerra.

O ritmo fluido e totalmente cinematográfico da escrita entrega que Drew Chapman escrevia roteiros antes de se aventurar neste primeiro romance. E, claro, “O projeto Ascendant” já teve seus direitos vendidos para a TV e vai virar uma série, exibida pela Fox americana. O livro terá uma continuação, que deve ser publicada pela Record em 2016.