Welcome to Academy Gotham, a escola mais prestigiosa de Gotham City. Somente os melhores e mais inteligentes alunos conseguem entrar nos seus salões, ingressar as salas de aula, explorar as passagens secretas… e invocar seus espíritos aterrorizantes! Estudem sua prestigiosa história, aprendam e se formem para quem sabe um dia, possam dirigir a Wayne Enterprises. Certo, então a Academia Gotham não é como as outras escolas e quem lá entrar tem o aviso: deixem parte da felicidade que trazem consigo para trás.

Nessa abertura do titulo, Academia Gotham, os autores Becky Cloonan (Monstro do Pântano), Brendan Fletcher (Batgirl) e Karl Kerschl (Novos Titãs: No Princípio) trazem uma ideia da aventura de estilo cool, lembrando muito Harry Potter, tendo como cenário o Batverso com um toque de fantasia, com um ar indie que lhe torna genial e uma trama divertida com personagens bem carismáticos. Pode parecer um spin-off de algumas série do Disney Channel convertida em quadrinhos, porém, garanto que é uma história de grande qualidade, que ao longo deste artigo irei tentar convencê-los ou, quem sabe, dar uma oportunidade para sua leitura.

ARGUMENTO
Nos arcos que correspondem aos treze primeiros números, a dupla Fletcher e Cloonan, nos mostram o dia a dia de Olive Silverlock narrado em primeira pessoa na Academia Gotham, um colégio particular financiado por Bruce Wayne (que aparece nos primeiros números), cujos alunos pertencem às mais prestigiosas e ricas famílias da historia de Gotham. Uma instituição que sem dúvida guarda muitos mistérios, alguns dos quais são o fio narrativo dos arcos, com fantasmas, histórias obscuras dos Cobblepot, monstros da mitologia Batman e seitas secretas. É por ela que Olive, acompanhada de Maps Mizoguchi e de outros amigos tentarão que resolver os mistérios desta sinistra academia ao mesmo tempo que desenrola suas relações pessoais e resolvem conflitos emocionais típicos dos adolescentes. E sim, o colégio recorda muito Hogwarts.
OS PERSONAGENS
Olive Silverlock: a protagonista da história e a narradora da mesma. Está no segundo ano, não se dá bem com alguns de seus colegas, em especial com os companheiros que se envolvem num misterioso caso de um espírito que aterroriza a escola. Olive terá que colaborar com eles para resolver este mistério e outros que se ligam a sua família, descobrindo uma veia detetivesca que lhe apaixona. Além disso, tem muito medo de morcegos, algo que tem a ver a priori com o Batman, cujo alter ego Bruce Wayne, tem um interesse pessoal em Olive.

Mía “Maps” Mizoguchi: amiga inseparável de Olive, que no início considera como uma carga, mas com o passar do tempo, colhe muito carinho, formando um par a la Sherlock Holmes bem eficiente. É uma moça alegre e impulsiva que acaba de entrar na Academia Gotham, que lhe fascina pela aura misteriosa e sinistra cheia de segredos que desperta constantemente sua curiosidade. Sua relação com Olive é uma clara analogia de da Dupla Dinâmica.

Kyle Mizoguchi: irmão mais velho de Maps e ex de Olive. Vive tentando se reatar com a amiga da irmã.

Pomeline Fritch: uma menina misteriosa, com uma personalidade antipática, irônica e mesmo arrogante, que tinha uma relçao complicada com Olive, mas se converte em aliadas para resolver o mistério do fantasma.

Colton Rivera: é o  Han Solo da escola, carismático e levado. Não faz nada sem pedir nada em troca, vive sendo castigado pelas peças que faz com os professores da escola. Se une ao grupo de Olive para resolver o caso e escapar da expulsão.

Como é notório, os personagens, caracterizados por clichês típicos que poderemos até julgar a príncipio, são bastante carismáticos, tem uma personalidade diferente e conseguem repassar carisma a narrativa.

OS AUTORES

Becky Cloonan e Brenden Fletcher trabalham no roteiro da série. Becky é desconhecida, no âmbito dos quadrinhos mainstream. Trabalhou com Brian Wood, na Wizard Magazine. Seu primeiro trabalho foi “East Coast Rising Volume 1”, que ganhou uma indicação ao Eisner 2006 como melhor série nova. Depois trabalhou com Steven T. Seagle na “American Virgin” do selo Vertigo, de onde continuou roteirizando números soltos de  “Northlanders/Vikings”, “Monstro do Pântano” e“Batman”.

E Brenden, é um dos roteiristas do momento no quadrinho norte-americano, destacando principalmente a etapa que fez em “Batgirl”, uma das melhores histórias de 2016 da DC, como também “Black Canary”, uma HQ indie que recebe excelentes críticas até o momento em sua curta trajetória. Realizou ainda alguns tie-ins del evento Convergência. 

 

A arte coube a Karl Kerschl, um artista ainda desconhecido, mas que já trabalhou no mercado do quadrinho digital com obras como “The Abominable Charles Christopher”. Na DC, realizou alguns números de  “Adventures of Superman” e “Teen Titans: Year One”. Seu estilo é muito influenciado pelo mangá, e está presente em todas as suas obras, mas com um tom mais animado, meio toon.

 

 

Gotham Academy revisará as biografias destes autores, em especial, por construírem uma aventura sensível, diferente e que entretém, com um desenvolvimento psicológico, para com os protagonistas, um pouco mais elaborado do que a média deste gênero e sobretudo para o público que se dirige: os adolescentes. Além disso, o estilo “amerimanga” de Kerschl junto com as cores de uma HQ digital dão um toque toon sem ser infantil que encaixa perfeitamente com a história.

PRESENTE E FUTURO

Gotham Academy começou a ser publicada em 2014, pela DC Comics, e até agora já foram treze números lançados e outros três anunciados para os próximos meses. Apesar de não ser um êxito de vendas, a editora segue apostando e até o momento não há data de cancelamento.  A equipe se manteve intacta desde o primeiro número até a atualidade, mas já sabemos que haverá mudanças. Tanto nos roteiros como nos desenhos, fazendo algo parecido com o que fizeram com a Harley Quin (Arlenquina), incorporar a série múltiplos autores.  Alguns já foram nomeados,  Ken Niimura, Rafael Albuquerque e Adam Archer, entre outros, colaborarão com Cloonan y Fletcher. Como adoro o estilo fantasia, agradeço a DC por ser paciente e aposte no título com um estilo tão diferente do habitual que publica.

EDIÇÃO BRASILEIRA
A Panini já trouxe dois encadernados com as histórias da Academia Gotham, o primeiro, Mistério na sala de aula, trouxe o que ocorreu em Gotham Academy 1-6 e o segundo, Calamidade, a continuidade em Gotham Academy 7-13 e os especiais Gotham Academy Endgame e Sneak Peek: Gotham Academy. Os dois volumes seguem com a Capa cartão, Lombada Quadrada, Papel LWC, mas com o número de páginas diferentes – o primeiro volume com 132 páginas e o segundo volume com 180 páginas. Além dos arcos narrativos, contém páginas de conteúdo extra com capas alternativas, desenhos e esboços dos personagens principais com comentários de Fletcher. Sem dúvida alguma, uma edição bem feita com um preço convidativo.

Por fim, Academia Gotham é uma novidade bem divertida, diferente e com um toque  indie teenager que segue a linha de Batgirl e Ms Marvel, que estão exitosas no momento. Porém poderá decepcionar um certo tipo de público, pois é uma obra claramente enfocada aos adolescentes. Quem não gostou dos quadrinhos mencionados como referência, não siga a leitura. Posso garantir, para os mais experientes, que o argumento divertirá, pois pessoalmente me passou momentos de entretenimento e diversão. Recomendo para os mais maduros a leitura sem grandes expectativas.

Academia Gotham (Gotham Academy) é um presente perfeito para aquele familiar ou amigo que queira introduzir nos quadrinhos de super-heróis e que vai conhecer um pouco da mitologia de Gotham através de personagens carismáticos e bem construídos numa narrativa sensível que encantará a quem ler. Se aventure na leitura, caras.