Johandson Resende frequenta aquela lista incomum de quadrinistas brasileiros que recebem maior reconhecimento internacional do que em sua terra natal. Após publicar diversos fanzines no Rio de Janeiro e colaborar na Tarja Preta, de Mathias Max, Johandson recebeu o convite da editora norte americana Top Shelf para produzir uma história online. Assim nasceu Mesomur, aventura psicodélica que pode ser lida online e abriu caminho para o autor trabalhar em Dharma, um projeto ousado de falar sobre filosofia oriental através de uma graphic novell.

Capa de Yuck! #2
Capa de Yuck! #2

Dos Estados Unidos para a Austrália… Enquanto Dharma não fica pronta, Johandson foi convidado para participar da revista Yuck!, uma antologia em quadrinhos do Milk Shadow Studios para o público adulto da terra dos cangurus. Confira abaixo uma pequena entrevista que fizemos com Johandson, que revela como fazer sucesso no exterior.

Como o pessoal da (revista australiana) chegou até você?

Eles chegaram através da internet, foi uma surpresa para mim.

Seu quadrinho é propositalmente sem falas? Você acredita que essa opção seja mais viável para universalizar seu trabalho?

Sim, acredito que o mutismo é uma linguagem universal. Assim como uma imagem vale por mil palavras, um olhar diz mais do que várias confissões, um filme do Chaplin seja mais eloquente do que milhões de frases, ou o sentido da vida seja tão amplo que não seja limitado a códigos sonoros ou escritos. Mas, na verdade, tudo isso é desculpa pelo fato de não saber bem inglês, e é mais fácil fazer histórias mudas, pois não me enrolo. Hehehehhehe.

Você foi convidado para publicar outro quadrinho na mesma revista? Que tipo de abordagem lhe parece interessante para trabalhar um leitor culturalmente diferente?

Johandson por Johandson

Sim, eles me chamaram para colaborador fixo. Tenho tido mais respostas satisfatórias na gringa do que aqui no Brasil. Meu trabalho é de fácil compreensão no exterior, pois são histórias lisérgicas e atemporais.

Lá fora os caras não se interessam tanto no nome, desde que você tenha um bom trabalho. Do mesmo jeito que a Topshelf (editora americana) me convidou para ser um colaborador em alguns projetos deles, pessoas da França ou da Austrália me pedem coisas e elogiam muito meu trabalho.

Tudo bem que aqui tem um Matias Maxx (da Tarja Preta) ou o Lobo (ex-editor da revista Mosh e da Desiderata), mas ainda é um mercado que está em crescimento. Tenho fé que os quadrinhos aqui no Brasil serão tratados como uma bela forma de arte e de expressão, pois é o que já está começando acontecer.

Você possui planos de publicar em alguma outra edição no exterior?

Sim, eu sou um gênio e vou conquistar o mundo.

Para conhecer mais trabalhos de Johandson Resende nos quadrinhos e ilustrações visite johandson.wordpress.com, já para ver alguns trabalhos de animação autorais ou para bandas visite cartoondelia.blogspot.com.

Ilutração do artigo por Fabio Monstro

  • o Monstro pegou bem as piadinhas insalubres do Johandson nessa ilustração!

  • O cara é déz! Conheço o Johandson de longa data da fanzinagem nacional e outros trabalhos, seu sucesso é merecido!

  • JESIEL GOMES

    Nossa Johandson!!!!!!
    VC É FERAAAAAAA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  • Raphael

    Boa johandson vc se é o cara!!! … esse é o meu primo ou tio? kkkkkkkkkkkkkkk