“A Inglaterra dos anos 1950 já não era como antes. O Governo instituiu certas mudanças. A Liga foi dissolvida e o país sofre com medidas implacáveis em meio a Guerra fria. É neste cenário que Mina Murray e um rejuvenescido Allan Quatermain retornam em busca de algumas respostas. Respostas estas que só podem ser achadas em um livro que enterrado nas profundezas de antigo quartel. Este livro contém a chave da história oculta da Liga através dos anos. O Dossiê Negro. Enquanto Allan e Mina se aprofundam nos detalhes de seus precursores, remontando séculos atrás, terão que lidar com espiões empenhados em conseguir o manuscrito e acabar com o grupo de uma vez por todas“.
Em 1898, a Inteligência Militar da Grã-Bretanha vitoriana convocou uma liga de indivíduos extraordinários, incluindo o velho explorador Allan Quatermain e o monstruoso Edward Hyde, para combater ameaças como a Invasão Marciana ocorrida naquela época. Esse grupo, entretanto, foi apenas um de muitos a servir secretamente o Império através dos séculos. Existem boatos de que os registros dessas diversas equipes foram reunidos em um só arquivo, o lendário DOSSIÊ NEGRO, guardado a sete chaves no inexpugnável quartel-general do MI5 em Vauxhall Cross. Agora, em 1958, castigada pela guerra contra a Alemanha de Herr Hynkel e ainda sob os efeitos do governo totalitário do “Ing – soc” eleito no fim da guerra, a Inglaterra não está preparada para enfrentar os fantasmas do seu passado sigiloso, indivíduos aparentemente ligados ao suposto “Grupo Murray” de sessenta anos antes. Mas mesmo que esses operativos consigam resgatar o dossiê e seus segredos explosivos de seus ex-superiores, eles terão que sair do país com os agentes mais mortíferos dos serviços de espionagem colados em seus calcanhares. Fugidos de pensões vulgares, passando por escolas públicas decadentes e portos espaciais agitados da década de 1950, e indo até os confins da eternidade, será que eles irão sobreviver a essa fabulosa e letal perseguição?
Todos nós que gostamos da arte sequencial sabemos que Alan Moore é um tipo especial, transita a meio caminho entre o seleto e o genérico, entre o minoritário e o comercial, se tornou uma figura única no mundo dos quadrinhos, respeitado, adorado, sobrevalorizado e sempre gera grandes expectativas quando se anuncia a publicação de um novo trabalho com seu nome.
Moore encontrou refúgio em The League of Extraordinary Gentlemen (A Liga Extraordinária) e se sente como em casa ao desenvolver narrativas ambientadas nesse fantástico universo que teve sua gênese no tempo do Império Britânico, mais precisamente na época vitoriana de finais do século XIX. Dali surgiu diversas histórias, inclusive uma série especial dedicada a filha do rebelde Capitão Nemo, demonstrando que o autor possui um carinho a este mundo de personagens carismáticos e icônicos da literatura britânica.
Além disso, a inestimável colaboração de Kevin O’Neill, parceiro indivisível desta peculiar Liga e tão responsável como o próprio Moore de sua criação. O traço de O’Neill resulta imprescindível e nem sou capaz de conceber novas histórias dos membros da Liga sem sua arte. A mordacidade e o brilhantismo dos argumentos amalgama perfeitamente com suas ilustrações, formando uma conjunção perfeita.
A publicação foi feira em 1999, como uma obrigação contratual para a DC Comics, bem depois da troca de farpas que ambos fizeram na mídia. E mesmo enfurecido com a editor norte-americana apresentou uma obra tão mais densa que as outras se perdem em meio ao que foi construído nesta obra.
A Liga Extraordinária: O Dossiê Negro, traduzido e publicado pela Devir, após algum tempo, nos leva ao ano de 1958, ou seja, muito anos depois da primeira minissérie, superando também o segundo volume, como também a primeira parte da saga “Century”, ambientada em 1910. A graphic novel, caprichada, em capa dura, não é todo uma continuação, mas em parte, tem ligação com as demais obras da dupla Moore&O’Neill. Não é uma HQ comum, é um tomo espetacular com tesouros incríveis, onde os quadrinhos são meros detalhes. Um dossiê enciclopédico com informação recompilada ao longo do tempo de quem fez parte da Liga, mas que não traz unicamente informação relativa ao grupo que conhecemos. Não há só anotações sobre  Wihelmina Murray, Allan Quatermain, o Dr. Jekyll, Nemo e O Homem Invisível, o volume trata das origens, do projeto embrionário de formar uma liga de homens extraordinários e de seus primeiros integrantes (Gloriana, Próspero e Orlando) chegando até os atuais, assim como as tentativas de outros países em formar seus próprios grupos especiais.
E quando tratamos de anotações, temos muito mais, em The Black Dossier encontraremos desde postais de viajes, tirinhas cômicas, envelopes, correspondências, a narrativa em primeira pessoa de como foi recrutar o Capitão Nemo, relatos em prosa ilustrados…E da mesma forma que os protagonistas da narrativa gráfica faz, estaremos descobrindo com eles, quando estamos folheando o dossiê negro, os segredos que esconde. Para completar este trabalho de engenho e mistura de formatos, colocam algumas páginas em 3D, com óculos e tudo, com lentes de celofane azul e vermelho.
Tanto Moore como O’Neill demostram sua capacidade de adaptação ao meio e são capazes de levar sia arte ao estilo que demanda o período histórico contido no dossiê. Como não poderia faltar, o título está repleto de referências e homenagens tanto a autores como a livros e personagens da literatura britânica, e há também lugar para Shakespeare, Orwell ou Lovecraft.
Seremos um pouco dos olhos de Mina e de Allan lendo as páginas do dossiê, o que é interessante pela forma que os autores desenvolveram para que sentíssemos como a dupla ao ter em mãos o livro e fugindo do serviço de inteligência britânico para recuperar o tal livro secreto.  Em resumo, quem o ler tem que está preparado para as 200 páginas, com tanto material de releitura e pesquisa pós-leitura, tem que conhecer bem Literatura e se não leu nada de The League of Extraordinary Gentlemen, não leia. Procure conhecer as demais obras, pois é muito material, muita referência.  Ah, e para quem o ler nunca se esqueça seu autor é Alan Moore.

CONTEÚDO ESPECIAL DA EDIÇÃO DE LUXO LIMITADA DA DEVIR

– Capa e sobrecapa exclusiva
– 8 cartões postais
– Mini revista erótica
– Marcador de páginas
– Óculos 3D
– Encarte com letras de música
– Pôster