em

White Wolf: Decisões equivocadas?

Depois de muito esperar, aconteceu a grande celebração da White Wolf, The Grand Masquerade, em Nova Orleans neste último final de semana. Foram prometidas muitas revelações e apontamentos para este evento, algo que inevitavelmente não se cumpriu. A White Wolf já vinha torturando o seu público com a completa escassez de informação e lançamentos há quase um ano, algo que parecia estar lentamente acabando com sua base de fãs. Ainda no final do ano passado, a WW saiu de um posto que ocupava há quase 20 anos: a lista de RPGs mais vendidos. E não parece que haverá uma volta por cima.

Durante a Gencon ficamos sabendo quais eram os planos de lançamento da empresa para o próximo ano. Todos os seus novos produtos teriam distribuição por via online nas principais lojas de PDFs de RPG, além desta proposta, a White Wolf também prometeu que arranjaria um novo parceiro para publicar estes livros em impressão sob demanda. Nada mais foi dito a respeito disso, o que é triste, pois tenho certeza, que tais notícias são a coisa mais importante que uma editora de RPG deveria se preocupar em dar. O grande evento se foi, e nada de mais relevante foi falado sobre os lançamentos de livros da WW.

Entretanto, como sabemos, a White Wolf é hoje em dia é apenas um bracinho moribundo da CCP, uma empresa de MMOs responsável pelo EVE Online, e a Grand Masquerade deixou bem claro quem é que manda por lá… O público sedento atrás de mais notícias sobre os livros do seu universo de RPG, ficaram de mãos abanando. O grande destaque foi o trailer oficial do novo MMO da CCP: The World of Darkness.

O trailer não mostra muita coisa e na verdade não diz nada também, mas as pessoas por trás do projeto foram gentis em esclarecer do que se tratava esta já esperada empreitada que nosso amado WoD entrou.

E para a imensa surpresa de todos, esqueça o título, não teremos um mundo das trevas no jogo, e sim Vampire: the Masquerade. Aquele jogo que a empresa não dá nenhum suporte e não escreve uma linha a respeito desde 2004. O MMO será somente baseado na antiga versão de Vampiro, sem nenhum outro ser sobrenatural jogável e a priori apenas com a Camarilla e o Sabá normais (nada de Lasombra antitribu ou Kiasyds). Ou seja, se você gostava de jogar com um daqueles clãs mais étnico-racistas é provável que a presença deles no jogo seja apenas como antagonistas.

Data de lançamento? Ainda sem previsão mas a estimativa mais próxima é 2012. Até lá haverá um revival dos livros antigos de A Máscara? Não, pelo menos inicialmente não está nos planos da empresa voltar a publicar o antigo cenário. Então me explica? A White Wolf foi comprada por uma empresa de MMOs, que lentamente parece que vem perdendo o interesse em investir no mercado de impressos. Eles finalmente vão lançar um MMO baseado na marca deles, mas escolheram um cenário, que na época do lançamento do jogo, estará há mais de oito anos fora de circulação e não tentarão traze-lo de volta. Mas, para confundir ainda mais o consumidor, o nome do novo jogo será igual ao da linha atual de RPG (que é World of Darkness), mas na verdade ele se refere a uma linha única e que por algum motivo de deus não se chamará Vampire: the Masquerade.

Realmente não dá para entender o que se passa na cabeça dos funcionários da CCP, mas a priori, por mais legal, bonito e interessante que a Grand Masquerade tenha sido, em termos de notícias e informações de RPG ela foi um grande tiro no próprio pé.

11 comentaram

Deixe sua opinião!
  1. Sua analise é ótima, Felipe. Porém temos que nos lembrar que até hoje nenhum RPg da White Wolf teve a dimensão mundial que o Masquerade teve. É sem duvida o grande sucesso deles. E ainda existe o refúgio que são as storylines do VTES que são enxertos como o Rise of the Imperator bem bacana pra quem tem saudade do metaplot e dos inesquisiveis personagens desse cenário.

  2. Os plots,em geral, foram bem escritos e seguindo a lógica do metaplot da Gehenna do complemento final do Masquerade.
    Especialmente o Rise of the Imperator, que conseguiu unir o conceito dos dois jogos (o metaplot do RPG com o jogo de manipulação dos Methuselahs do cardgame) e ainda acrescentar uma história única dentro desse universo que já tinha saido de linha de produção, mas ainda não do imaginário dos seus jogadores.

  3. Bom, em outras notícias a respeito do anúncio comentaram que durante o evento a WW comentou que teria pretensões de expandir o universo inicial incluindo as demais criaturas fantásticas do Mundo das Trevas, além disso é inegável que na mãos da CCP teremos um MMO distinto da maioria, já que ela é responsável pelo fantástico Eve Online. Quanto a opção de ambientação, acho melhor o nWoD não conseguiu e chamais irá conseguir atingir a popularidade do oWoD, logo é muito mais inteligente aproveitar o cenário antigo que é muito mais popular e conhecido como base para o MMO, irá atrair mais público, afinal de contas nem o MMO de D&D é baseado na sua edição mais recente.

  4. O oWoD foi popular há seis anos atrás, mas hoje poucas pessoas jogam nesse cenário. Com a antiga base de fãs bastante reduzida e sem uma estratégia que arrebanhe novos fãs para o antigo cenário, o lançamento desse MMO não faz o menor sentido. E ainda tem a confusão com os nomes para aqueles que quiserem partir do MMO para o papel e vice-versa.

  5. Então quer dizer que escolheram a Mascara em vez do Requiem devido ao sucesso do passado. Agora eu imagino quando chegar a vez de espandir pras outras criaturas como por exemplo Changeling, visto que o Lost teve mais sucesso que o Sonhar, sera que vão fazer uma mistureba de cenários?

    O pior vai ser se esse MMO fizer sucesso, ai vai ter mesmo pressão pra retomar o antigo WoD.

    Pelo visto o WoD já era mesmo. Alguem ai sabe de algum outro cenário com criaturas sobrenaturais que não seja as picaretagens da Daemon?

  6. I think youve made some truly interesting points. Not too many people would actually think about this the way you just did. Im really impressed that theres so much about this subject thats been uncovered and you did it so well, with so much class. Good one you, man! Really great stuff here.

Deixe uma resposta

Publicado por Felipe Velloso

Editor e Autor veterano do Ambrosia. Formado em História pela UFRJ, mantém praticamente todos os campos do site como áreas de seu interesse. Felipe é um viciado em letras, quadrinhos e games desde quando ele só tinha oito bits.

Nosso Lar e sua síndrome de Paulo Coelho

Festival do Rio: A Woman, A Gun And A Noodle Shop