Depois de aparecer sem ninguém esperar e se tornar a serie mais querida do ano passado, a Netflix lança a segunda temporada de Stranger Things. Cercada de mistérios e expectativas, a série tinha dois riscos a correr: se deitar no sucesso e repetir a mesma fórmula ou criar uma história que, cercada do hype criado, não fosse do mesmo nível do ano anterior. Para a felicidade de todos, os produtores Shawn Levy e os Irmãos Duffer, conseguiram dar continuidade na história, ampliando os personagens e o próprio universo estabelecido.

Se na primeira temporada, algumas pessoas reclamaram que a história seria um retalho de grandes cenas de filmes dos anos 80, nessa segunda a história funciona muito bem, com algumas referências de filmes, com Alien: O Oitavo Passageiro e O Exorcista e algumas pequenas piadas sobres outras películas (uma delas, com Sean Austin, é brilhante, de um dos seus principais personagens da sua carreira).

Nesta temporada, ficamos sabendo o que acontece com Eleven (Millie Bobby Brown) após seu desfecho na anterior, ganhando sua própria jornada. A trama dos meninos funciona como dois núcleos. Will e Mike tentam recuperar suas vidas, mas quebrados devidos a sua experiência no ano anterior (Will) e a perda do seu amor (Mike). Já Dustin e Lucas disputam a atenção da nova garota da sala deles: Max. Enquanto isso, Will ainda passa por um processo de análise sobre o que aconteceu com ele.. e sua condição começa a piorar.

Cada personagem tem sua história e passa pelo seu próprio momento, desencadeando seu crescimento e evolução dento da série. A produção faz boas analogias sobre as pequenas nuances que acontecem em cena, que irão refletir no seu arco de história (atenção os jogos que as crianças estão jogando).  Aparentemente Stranger Things está inventando o modelo de criação de cena importante, como visto com a cena das luzinhas de Natal da primeira temporada.

Existem alguns personagens novos que ampliam o universo estabelecido na temporada anterior. São pequenos mistérios que levam a história para além da das coisas que aconteceram com Eleven.

As atuações estão todas muito boas, das crianças principalmente, sempre com destaque para Millie Bobby Brown, que entrega tudo o que a personagem exige. Algumas pessoas podem ficar incomodadas com Mike, devido ao que ele passa na temporada, parecendo outra pessoa (nos bastidores, os colegas os chamavam de Emo Mike). Winona Ryder está mais contida nessa temporada, mas ainda faz o que é necessário.

Pelo tamanho da temporada (9 episódios) e a qualidade da série, Stranger Things vale maratonar no Netflix.

Série: Stranger Things
Criação: Matt Duffer, Ross Duffer
Elenco: Millie Bobby Brown, Finn Wolfhard, Winona Ryder
Gênero: Ficção Científica/Terror
País: EUA
Data de lançamento: 28 de outubro de 2017
Emissora: Netflix
Duração: 55 min