Fotos: Guga Melgar

O Teatro de sombras de Ofélia, peça adaptada a partir do conto homônimo do alemão Michael Ende, em cartaz no Teatro dos Quatro, acerta em tudo. A começar pela adaptação e direção de Jonas Klabin e pela direção de arte de Bia Junqueira, que alcançam êxito em orquestrar um leque amplo e variado de expressões artísticas e linguagens, proporcionando ao público uma experiência estética prenhe de todos os sentidos que esta expressão pode ter. Esse é um espetáculo no sentido literal do termo, em que saímos arrebatados por um belíssimo jogo de imagens e ideias que reverberam dentro de nós por horas, talvez dias. A personagem é encantadora, seu trajeto é comovente e a dramaturgia é impecável.

o-teatro-de-sombras-de-ofelia_foto-guga-melgar_web

A peça é uma homenagem ao teatro. A personagem Ofélia, cujo nome já remete a Shakespeare e é interpretada com precisão por Rafaela Amado, despede-se de uma vida dedicada ao teatro, onde cumpria a função de dar as falas aos atores nas peças. Seu sonho era ser atriz, e apesar de não tê-lo realizado, esteve sempre imersa nos bastidores do ofício. Mas o teatro onde trabalha fecha as portas e ela deve ir embora, após a última apresentação, carregando a nostalgia antecipada de uma vida dedicada às artes dramatúrgicas que se encerra prematuramente.

Há um tom onírico na peregrinação de Ofélia em sua partida pela cidade, em que carrega consigo as falas de textos clássicos de autores como Schiller, Beckett e outros. E é a mistura de linguagens, de luz e sombra, de projeções e filmagens feitas no momento da peça, de pantomima e música ao vivo, que ajuda a moldar essa atmosfera de sonho. Ofélia carrega também uma mala e certa dose de frustração muda.

o-teatro-de-sombras-de-ofelia_foto-guga-melgar-51_web

A beleza do espetáculo reside no desenho dessa frustração, em formato de fábula, construído de modo rigoroso no melhor sentido da palavra: estamos diante de um trabalho que é realizado com a dedicação e a destreza do artesão diante do seu ofício. Há uma equipe artesã que compõe, em conjunto, a montagem poética e luminosa, que, dotada de um magnetismo inegável, captura o espectador do início ao fim.

A parceria de Carolina Garcia, integrante da Cia. Caixa do Elefante (Rio Grande do Sul), assinando a direção de manipulação e movimento, é fundamental, uma vez que a ênfase do espetáculo recai sobre o gesto e a manipulação de objetos. A projeção que compõe a peça é assinada pelo estúdio de ‘design de experiência’ Ambos&& (Barbara Castro e Luiz Ludwig), ajudando a construir alguns elementos do cenário. Merece destaque, ainda, a luz belíssima de Luiz Paulo Nenen, outro elemento primordial para a composição do espetáculo centrado no jogo de luz e sombras.

o-teatro-de-sombras-de-ofelia_foto-guga-melgar-62_web

Finalmente, Thiago Trajano, que assina direção musical, arranjos e composição, apoiado por Gabriel D’Angelo, responsável pelo desenho de som e sonoplastia, reforçam o tom lírico da peça, em que a música é executada ao vivo. O final musical do espetáculo arremata lindamente o trabalho primoroso da equipe.

FICHA TÉCNICA

Baseado no conto homônimo de Michael Ende
Direção e Adaptação Jonas Klabin
Diretora Assistente Rafaela Amado
Elenco/Músicos Carolina Garcia, Frederico Cavaliere, Grasiela Muller, Maria Clara Valle, Pedro Gracindo, Rafaela Amado e Zé Azul
Direção Musical, composição e arranjos Thiago Trajano
Direção de Arte e Cenografia Bia Junqueira
Filmagem e Projeção Ambos&&
 – Barbara Castro e Luiz Ludwig
Desenho de Luz Luiz Paulo Nenen
Direção de movimento e manipulação Carolina Garcia
Figurino Marta Reis
Design de Som Gabriel D`Angelo
Artista de Construção de Adereços Celestino Sobral
Direção de Cena Lucia Martinusso
Programação Visual Pedro Colombo
Fotos Bruno Veiga
Visagismo Daniel Reggio
Assessoria de Imprensa Daniella Cavalcanti
Coordenação Administrativo-financeira Cristiane Cavalcante
Produção Executiva Marcela Epprecht
Direção de Produção Bianca De Felippes
Produtores Associados Bianca De Felippes e Jonas Klabin
Realização Oz. e Gávea Filmes

SERVIÇO

Temporada: 08 de outubro a 18 de dezembro
Local: Teatro dos Quatro – Shopping da Gávea
Endereço: Rua Marquês de São Vicente, 52/Lj 265 – Gávea
Horário: Sábados, às 21h, e domingos, às 20h
Ingressos: R$80,00 (sábado)/ R$70,00 (domingo)
Informações e venda de ingressos: (21) 2239-1095/ 2274-9895 | www.ingresso.com
Capacidade: 402 lugares
Duração: 60 minutos
Classificação: 10 anos
Gênero: fábula
Funcionamento da bilheteria: de segunda a sábado, das 13h às 21h, e domingo, das 12h às 20h
www.teatrodosquatro.com.br