homeland-claire-danes

Homeland chegou em sua fatídica segunda temporada recheada de expectativas dado o barulho que fez em sua elogiada estreia, arrebatando todos os prêmios possíveis e um cada vez maior reconhecimento à relativamente pequena emissora de TV fechada americana Showtime.

A série se mantém como um interessante retrato sobre a paranoia norte-americana pelas vestes da ambiguidade. Conceito esse que foi determinante em todo o seu primeiro ano, mas que precisava de muita justificativa para se estabelecer como veículo seriado. De certa forma o roteiro procurou respeitar esse peso porem é inegável que sua forca esteve à prova já que as opções escolhidas para o andamento da trama foi se mostrando frágil frente ao projeto original.

Vejam essa obra-prima de trailer!!!

[Contém Spoilers]

Isso não significa (de maneira nenhuma) que a segunda temporada tenha sido ruim. Pelo contrário, a história foi eletrizante principalmente pelo fato da CIA ter descoberto finalmente o segredo de Brody (o protagonista dúbio) e assim, evoluído dessa questão matriz. O desencadeamento disso foi trazendo novas possibilidades e a sensação de não sabermos para onde aquilo levaria trouxe uma tensão que só demonstra o acerto dos roteiristas. Entretanto com a opção de sublinhar (ainda mais) o inusitado romance de Carrie com o terrorista “arrependido” a trama acaba caindo na berlinda de sua própria pretensão inicial  Como se a cerne da série esbarrasse na questão do amor impossível ao invés de focar na urgência das questões politicas e até mesmo na persona inusitada da excelente Claire Danes.

O final desse segundo ano foi polêmico por essa ambiguidade. Era como se a dualidade de Brody se transferisse para o próprio conceito da produção e nossa percepção sobre ela. Talvez por isso que o final não é de uma sensação propriamente ruim, mas do que o roteiro será capaz daqui por diante, levando em consideração os caminhos que os personagens estão fazendo. Cabe uma preocupação pela fato de supostamente os roteiristas estarem perdendo a mão e a série caindo na previsível decadência de um fenômeno ou ter esperança de que a terceira temporada trará uma reviravolta lógica e identificada com o nível da primeira? Ainda é um prazer assistir Homeland, mas a desconfiança de Brody tem se estendido para a série como um todo. Oremos…