em ,

A peça ‘Aqui jaz Henry’ volta ao Rio, no Teatro Cândido Mendes

A temporada de estreia no Rio de Aqui Jaz Henry – espetáculo solo de Renato Wiemer, com direção artística de Clarissa Freire- foi subitamente interrompida com o aviso de que a Livraria Cultura, local que abrigava o Teatro Eva Herz, no Centro do Rio, encerraria suas atividades. Como numa reviravolta dramatúrgica revigorante, uma rede de solidariedade adiou o ponto final dado pela crise financeira. Ao saber do ocorrido, integrantes do MATER e da Liga Teatral, além de diretores, técnicos, produtores e atores, imediatamente se mobilizaram para encontrar um novo palco para o monólogo. Foi assim que o Solar de Botafogo abriu suas portas e acolheu Aqui Jaz Henry para uma temporada relâmpago. Agora, dia 9 de janeiro, o espetáculo volta à cidade fluminense para dois meses de apresentações no Teatro Cândido Mendes.

Com figurinos de Claudio Tovar e visagismo de Leopoldo Pacheco, a peça apresenta um homem que tenta explicar uma série de fatos sobre a existência humana. Nem ele mesmo sabe o que é verdade – e nem teria como saber – porque mente a respeito de tudo, até sobre a própria mentira.

Renato Wiemer traduziu a escrita polissêmica do autor canadense Daniel MacIvor, conhecido no Brasil pelas peças In On It, À Primeira Vista e Cine Monstro. “MacIvor tem uma maneira particular de escrita, uma dramaturgia não linear, meio ‘torta’, dissonante, mas que no final faz todo o sentido. Henry fala e se relaciona o tempo todo com a plateia. Quebrando a ‘quarta parede’ o espetáculo transporta o espectador para dentro da sua narrativa,” define Wiemer.

A paixão do ator pelo estilo de MacIvor surgiu quando assistiu a uma montagem da peça In On It. “Minha experiência ao testemunhar a escritura dramatúrgica e a riqueza impressa do texto me trouxe a certeza que não me interessava qual história contar, mas sim, como contá-la. Nada importa para além do que é dito. Mesmo que sejam mentiras”, completa.

O texto do espetáculo foi concebido em um workshop ministrado pela Da Da Kamera Cia. de Teatro no Festival Antigonish, e sua primeira montagem aconteceu no Six Stage Festival, no Buddies In Bad Times Theatre, em Toronto. A montagem brasileira estreou em outubro de 2017 no Teatro Pequeno Ato, em São Paulo.

Ficha técnica

Título Original: Here Lies Henry. 
Autor: Daniel MacIvor. 
Dramaturgia: Daniel Brooks. 
Tradução: Renato Wiemer. 
Direção: Clarissa Freire. 
Idealização, concepção e atuação: Renato Wiemer. 
Iluminação: Paulo Cesar Medeiros. 
Figurino: Claudio Tovar. 
Cenário: Teca Fichinski. 
Trilha Sonora: Renato Wiemer. 
Visagismo: Leopoldo Pacheco. 
Projeto Gráfico: Karin Palhano. 
Assessoria de imprensa: Lu Nabuco Assessoria em Comunicação. 
Produção executiva: Andrea Mattar. 
Direção de produção: Joana D’aguiar. 
Produção: Wiemer Produções e Sopro Escritório de Cultura. 
Realização: Wiemer Produções e Sopro Escritório de Cultura.

Serviço

AQUI JAZ HENRY
REESTREIA dia 9 de janeiro de 2019
Até dia 28 de fevereiro de 2019.
Duração: 65 minutos. Classificação: 16 anos. 
Ingressos: R$50 (inteira); R$25 (meia-entrada).
Temporada: Quartas e Quintas, às 20h.
Local: Teatro Cândido Mendes – Rua Joana Angélica, 63 – Ipanema
Informações: 21 2525-1000
103 lugares

Vivian Pizzinga

Publicado por Vivian Pizzinga

Vivian é escritora e psicanalista. Lançou dois livros de contos (A primavera entra pelos pés, 2015; Dias roucos e vontades absurdas, 2013), ambos pela Editora Oito e Meio.