em ,

Advogados, juízes e desembargadores fazem ‘radionovela’ sobre julgamento histórico

“O direito de pensar – uma viagem radiofônica ao julgamento do macaco” conta, de maneira romanceada, leve e divertida, como foi o julgamento de um professor que Teoria da Evolução para alunos de uma escola pública dos EUA, em 1925

Intolerância, negação da ciência e julgamentos polêmicos. Não, não estamos falando de 2020, mas sim da cidade de Dayton (no Tennessee, EUA), em 1925.

Foi nessa pequena cidade de pouco mais de 7 mil habitantes que um professor foi processado e levado a julgamento por ensinar a Teoria da Evolução de Charles Darwin a estudantes da oitava série de uma escola pública.

“O direito de pensar – uma viagem radiofônica ao julgamento do macaco”, uma radionovela em forma de podcast dividida em 6 episódios de 50 minutos cada (que estreia nesta quinta-feira, 5 de novembro), conta a história desse caso (Scopes Trial).

Advogados, juízes e desembargadores como atores

Podcast

Se a ideia de romancear e representar um episódio tão famoso, estranho e atual, já não fosse relevante, a ideia de ter (além de atores) advogados, juízes e desembargadores do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro como parte do elenco, é mais que interessante.

— Todos os magistrados envolvidos nessa leitura já haviam feito outros trabalhos com elaa Sílvia Monte (responsável pela direção do podcast). Normalmente são peças e leituras de textos. Porém, dessa vez, por conta da pandemia, optamos por um outro formato — explica o professor do Curso de Direção Teatral da Escola de Comunicação da UFRJ e responsável pela pesquisa e tradução dos autos do processo original e de artigos da imprensa da época, José Henrique Moreira.

Além de atuarem atores, os magistrados participam da trilha sonora do podcast, atuando como músicos, arranjadores e letristas.

Um programa de rádio contando o julgamento

Podcast

O podcast não é exatamente um documentário sobre o julgamento. Na verdade, é como se o ouvinte estivesse sintonizando uma rádio que estivesse cobrindo o evento.

— Acaba tudo sendo muito divertido. Há os locutores, os entrevistados e muita coisa para tornar a dramatização uma coisa leve e com muito humor. É como se fosse uma rádio dentro da rádio — diz Moreira.

A “radionovela” é dividida em 5 episódios que serão divulgados todas as quintas-feira, começando neste dia 5 de novembro e terminando em 10 de dezembro.

Para “sintonizar na rádio’ o ouvinte deve ir até o site da Escola da Magistratura do Estado do Rio de Janeiro ou procurar nas principais plataformas de podcasts.

Como serão os episódios do podcast

Um Professor na Cadeia (5/11)

John Thomas Scopes, professor da oitava série de Dayton, pequena cidade do
Tennessee, é preso sob a acusação de ensinar a Teoria da Evolução de Charles
Darwin. A equipe da Rádio WGN chega à cidade para a cobertura exclusiva do
primeiro julgamento transmitido em rede nacional.

Duelo de Morte (12/11)

A WGN apresenta os advogados de acusação e defesa. Para William Jennings
Bryan, fervoroso guerreiro das ideias criacionistas, será um “duelo de
morte” entre cristãos e agnósticos. Já Clarence Darrow, célebre defensor dos
direitos civis, alista-se para uma batalha contra a “civilização das
trevas”.

Soa o Gongo! (19/11)

A escolha dos doze jurados pode traçar o destino do julgamento. Pela WGN, os
ouvintes do país inteiro têm uma prévia do que será aquele que já é
conhecido nacionalmente como o “Julgamento do Macaco”.

Toga Justa (26/11)

São ouvidas as testemunhas da acusação. Na hora da defesa, um impasse: os
cientistas poderão falar? No tribunal e na praça de Dayton, a WGN registra a
tensão entre os grupos rivais: pró e contra o ensino do “evolucionismo”.

Golpe de Mestre (3/12)

Os cientistas dão uma entrevista coletiva. No tribunal, uma reviravolta: a
defesa convoca uma testemunha insólita. Mais tumulto e perplexidade. A Rádio
WGN leva ao mundo todo as peripécias do “Julgamento do Macaco”.

Inocente ou Culpado? (10/12)

Participe com sua opinião!