"Aos Olhos de Ernesto" estreia em 17 de setembro no Brasil | Agenda | Revista Ambrosia
em ,

“Aos Olhos de Ernesto” estreia em 17 de setembro no Brasil

Premiado filme de Ana Luiza Azevedo chega aos cinemas, streamings e drive-ins

Premiado pela crítica na 43ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo e pelo público no 23º Festival Internacional de Cine de Punta del Este, “Aos Olhos de Ernesto”, filme da diretora e roteirista Ana Luiza Azevedo (Antes Que O Mundo Acabe), será lançado no Brasil no dia 17 de setembro, nas plataformas Net Now, Vivo Play e Oi Play, pelo Canal Brasil.

Seguindo as orientações do protocolo de segurança, o longa também entra em cartaz no Rio de Janeiro, no drive-in Cinesystem, em Brasília, na sala Cineflix JK, e em Belém, no cinema Moviecom.

“Aos Olhos de Ernesto” teve sua estreia mundial em outubro no 24º Festival Internacional de Busan (Coréia do Sul), o maior festival de cinema da Ásia, na categoria “World Cinema”. Muito bem recebido em terras asiáticas, foi considerado “ao mesmo tempo, bem-humorado, poético, sério e comovente”. Um filme que, segundo a curadora do festival, “transcende facilmente a diferença de idioma e a diferença cultural”. Para a diretora Ana Luiza Azevedo, ter seu filme assistido por olhos coreanos foi especial. “Foi mágico perceber que a história escrita por mãos brasileiras, com um colorido do sul da América do Sul, se comunica tão bem com aquele país do outro lado do mundo”.

Com recepção similar por aqui, “Aos Olhos de Ernesto” foi laureado pela crítica da Mostra SP justamente “por tratar a solidão de maneira realista, sem abrir mão do humor” e “por apostar, com segurança, num estilo narrativo que dialoga tanto com cinéfilos, quanto com amplas plateias”. O longa também já foi exibido na Mostra Latina do Festival do Rio 2019, no 41º Festival Del Nuevo Cine Latinoamericano de Havana e no 23º Festival Internacional de Cine de Punta del Este, onde além de ser eleito melhor filme pelo voto popular venceu o prêmio de melhor ator (Jorge Bolani).

Na trama, a solidão, a amizade, o amor e as redescobertas na terceira idade permeiam a história de Ernesto (Jorge Bolani). Aos 78 anos, o personagem, ex-fotógrafo uruguaio, se depara com uma crescente cegueira e as limitações diversas que acompanham a avançada idade. Viúvo e pai de filho único – Ramiro (Julio Andrade), que vive longe -, Ernesto ressignifica sua vida e os padrões da velhice ao conhecer a jovem Bia (Gabriela Poester), que o ajuda, até mesmo a reencontrar um grande amor. Também no elenco, Jorge d’Elia, como Javier, o vizinho de Ernesto; Glória Demassi, que vive Lucía, o amor uruguaio do protagonista; e as participações de Mirna Spritzer, Áurea Baptista, Janaina Kremer, Celina Alcântara e Marcos Contreras.

Entre diversos aspectos e processos de criação do filme, a mescla de várias culturas e o uso do “portuñol” são marcas do projeto. A proximidade cultural entre as cidades do Sul do Brasil, Uruguai e Argentina estão presentes na obra através da música, da língua e da literatura. “É bastante comum encontrar em Porto Alegre, uruguaios e argentinos, que vieram fugidos das ditaduras em seus países e que aqui permaneceram, mas que seguem falando com forte sotaque, misturando as duas línguas e cultivando fortemente a cultura de seu país. A formação histórica do Rio Grande do Sul já é uma mistura dessas culturas do sul da terra. Por muito tempo pertencemos à Província Cisplatina e isto se reflete na cultura. Estamos mais próximos da Argentina e do Uruguai do que do centro do país. Hablamos portuñol com muita facilidade”, explica Ana Luiza.

Escrito por Ana Luiza, em parceria com Jorge Furtado, o roteiro passou por laboratórios de desenvolvimento e teve consultoria do escritor cubano Senel Paz (autor de “Morango e Chocolate”). A história de Ernesto foi inspirada na vida do fotógrafo italiano Luigi Del Re. “O personagem surgiu a partir da história dele, fotógrafo italiano que vivia em Porto Alegre, e que com a idade e avanço da cegueira já não conseguia mais se corresponder com a irmã, que morava na França”, conta a diretora e roteirista. “Em homenagem a Luigi, usamos na direção de arte as suas fotos e equipamentos de filmagem para compor o universo de Ernesto e seu apartamento. Mas Ernesto não é só Luigi: é um pouco de nossos pais, e de nós mesmos”, complementa a cineasta.

SERVIÇO DRIVE-IN E CINEMAS:

Rio de Janeiro – Drive-in Cinesystem – De quinta a quarta, às 22:30
Brasília – Cineflix JK – Sessão diária às 20:05
Belém – Cinema Moviecom – Sessões diárias às 16:50 e 20:10

SINOPSE

Ernesto vem enfrentando as limitações da idade avançada como a solidão e a crescente cegueira, que ele acha que pode disfarçar de todos. Quando ficou viúvo, Ernesto aprendeu que envelhecer é ocupar os silêncios com um disco rodando, com os telefonemas do filho que mora longe, com as idas ao banco para buscar sua escassa aposentadoria, com rápidas visitas do vizinho Javier e a espera de uma nova carta de Lúcia. Mas Bia, uma descuidada cuidadora de cães, atropela a sua vida e coloca em risco seu metódico cotidiano. E Ernesto percebe que envelhecer pode ser rejuvenescer com a intensa companhia de uma menina que não tem nem trinta anos. Que a vida e o amor são possíveis, até para quem tem quase 80 anos.

FICHA TÉCNICA

Elenco: Jorge Bolani, Gabriela Poester, Jorge d´Elia, Julio Andrade, Glória Demassi, Áurea Baptista, Marcos Contreras
Direção: Ana Luiza Azevedo
Produção executiva: Nora Goulart
Produção: Casa De Cinema De Porto Alegre
Roteiro: Ana Luiza Azevedo, Jorge Furtado
Colaboração de roteiro: Vicente Moreno, Miguel Da Costa Franco
Direção de fotografia: Glauco Firpo
Direção de arte: Fiapo Barth, William Valduga
Montagem: Giba Assis Brasil
Música original: Leo Henkin
Som direto: Rafael Rodrigues
Desenho de som: Tiago Bello, Marcos Lopes
Mixagem: Tiago Bello
Figurinos: Rosângela Cortinhas
Caracterização: Britney Federline
Primeira assistente de direção: Laura Mansur
Direção de produção: Glauco Urbim
Patrocinador: ANCINE, BRDE, FSA, BNDES

Participe com sua opinião!