em ,

“Isso que você chama de lugar” ganha temporada no Teatro Ipanema

Num mundo cada vez mais individualista, onde todos parecem sempre tão ocupados lutando pela própria sobrevivência a ponto de conversar sem se comunicar, quatro histórias paralelas “se cruzam”. As personagens se encontram no palco, mas não na vida, reforçando a incomunicabilidade que existe nas relações contemporâneas.

Espetáculo inédito de Daniel Herz com texto criado em coletivo, a peça “Isso que você chama de lugar” entra em cartaz no Teatro Ipanema no dia 19 de outubro para temporada até 11 de novembro.

Em cena, quatro atores contam quatro histórias concomitantes, parecendo às vezes que é a mesma história – mas são sempre histórias diferentes. Cada ator apresenta apenas a sua própria história e os diálogos não são necessariamente diálogos, mas são sempre encontros. Tendo a dúvida como ponto central, o jogo cênico se assemelha a um quebra-cabeça e flerta com teatro do absurdo. Essa “vertigem cênica” alude à profundidade da decisão que os personagens, vivendo momentos cruciais, precisam tomar.

“Tive essa ideia das histórias simultâneas a partir da reflexão sobre o lugar em que cada um se situa a cada tempo. Ter um elenco tão talentoso e confiante neste formato faz do desafio uma aventura deliciosa”, analisa Daniel, que criou o texto colaborativo junto de Clarissa Kahane, sua assistente na direção, e do elenco, composto por Carol Santaroni, Clarissa Pinheiro, Roberta Brisson e Tiago Herz.

A peça pontua o perceptível crescimento do fluxo emigratório de brasileiros que buscam em outros países um aumento da qualidade de vida e alguns desdobramentos – estabilidade financeira, realização profissional e novos encontros amorosos. Para além das questões práticas, aparece o desejo não apenas de deixar o lugar onde se vive, mas de se encontrar em si mesmo.

“É possível ter um projeto de vida potente dentro do nosso país ou a única saída é o aeroporto? Nunca tivemos tantas pessoas ‘navegando’ por essa dúvida”, provoca o diretor, aos 37 anos de carreira. A montagem tira o espectador da zona de conforto não somente em relação ao tema, mas também quanto à forma de contar essas histórias, brincando com o que parece e o que de fato é.

“Um grande desafio foi encontrar o equilíbrio entre as dinâmicas cênicas e o fôlego do público para conseguir acompanhar as quatro histórias ao mesmo tempo. A plateia tem que ‘aceitar’ o desconforto inicial e depois se deleitar com a potência de conseguir se envolver com a situação limite de cada personagem”, sinaliza Daniel.

Os personagens têm a opção de manter a segurança afetiva do seu local de origem ou buscar uma nova identidade em um novo país. “A sensação de que as nossas faltas serão preenchidas num lugar diferente nos encoraja a partir. Mas manter-se na terra natal apesar das contrariedades e inverter expectativas também é uma possibilidade de autoconhecimento e plenitude. Em suma, reconhecer-se como estrangeiro de si mesmo e, a partir desse entendimento, buscar a sua própria identidade é o que nos motiva a contar essas histórias”, encerra.

SERVIÇO

“ISSO QUE VOCÊ CHAMA DE LUGAR”
Temporada: 19 de outubro a 11 de novembro
Horários: Sábado à Segunda-feira – 20h
Local: Teatro Ipanema
Rua Prudente de Morais, 824 – Ipanema
Telefone: (21) 2267-3750
Ingressos: R$ 40 (inteira) / R$ 20 (meia-entrada)
Duração: 70 minutos
Classificação: 12 anos
Gênero: Drama

FICHA TÉCNICA

Concepção e Dramaturgia: Daniel Herz
Texto: Criação Coletiva (??)
Direção: Daniel Herz
Elenco: Carol Santaroni, Clarissa Pinheiro, Roberta Brisson e Tiago Herz
Diretora Assistente: Clarissa Kahane
Iluminação: Aurélio de Simoni
Cenário: Fernando Melo da Costa
Figurino: Clívia Cohen
Projeto Gráfico: Daniel Rocha e Vidi Descaves
Assistência Psicanalítica: Evelyn Disitzer
Direção Musical: Pedro Nego
Assessoria de Imprensa: Marrom Glacê Assessoria – Gisele Machado & Bruno Morais
Produção: 2D Produções e Comunicação

Deixe sua opinião

Publicado por Rubens Soares

“Solano, vento forte africano” reestreia na Flup

Bone, de Jeff Smith, vai ganhar série original em animação