Jorge Pardo, expoente do flamenco jazz, participa de exibição do documentário “Trance” em São Paulo

21
0

O Instituto Cervantes de São Paulo promove um evento para os amantes do flamenco jazz no dia 26 de junho, às 20h. Nesta data haverá um encontro de música e cinema o expoente Jorge Pardo, músico madrilenho reconhecido internacionalmente que aos  15 anos de idade já se apresentava no prestigiado Festival de Jazz de San Sebastián. O evento será realizado na sede do Instituto, localizada na Avenida Paulista, e contará com a exibição do documentário “Trance”, com moderação feita por Marianna Scovino.

Jorge Pardo nasceu em Madri, tendo estudado apenas um ano no Real Conservatório de Música de Madri – o que não impediu que despontasse muito cedo como um dos expoentes do flamenco jazz. Foi membro fundador do “Grupo Dolores”, juntamente com Pedro Ruy Blas e outros músicos madrilenos, gravando três LPs nos anos 70. Em um deles, participou Paco de Lucía, com quem Pardo colaborou por mais de 40 anos em várias gravações e turnês mundiais. O saxofonista madrilenho fez parte da banda que acompanhou Paco de Lucía em sua primeira turnê europeia, propondo uma nova visão do flamenco e originando seu famoso sexteto. Segundo Paco de Lucía, “os discos que saíram dessa colaboração, Sólo quiero caminar e One summer night, são propriamente a primeira fusão real no flamenco, a primeira inovação, a primeira vez que foram utilizados novos instrumentos como o cajón e a flauta”.

A flauta e o saxofone, desde então, ficaram ligados ao mundo do flamenco graças a Jorge Pardo. Com Camarón de la Isla, gravou em “La Leyenda del Tiempo” e colaborou em várias produções e turnês. Além disso, nos estúdios de flamenco “Amor de Dios”, Pardo trabalhou com uma nova geração de artistas conhecidos como “Os jovens flamencos”.

Além de seus trabalhos solo, teve participação em inúmeros discos dos chamados “novos flamencos”, como Ketama ou La Barbería del Sur. Sua colaboração com Carles Benavent e Tino di Geraldo formou um trio lendário no panorama musical. Seu álbum “Diez de Paco”, junto com Chano Domínguez, é considerado uma referência chave do flamenco-jazz.

Jorge Pardo também manteve uma relação artística e pessoal com Chick Corea, colaborando em projetos desde os anos 80 até os últimos dias do gênio norte-americano. Entre seus numerosos prêmios estão o Prêmio de Melhor Músico Europeu de Jazz pela Academia Francesa de Jazz, o Prêmio Donostiako Jazzaldia do Festival de San Sebastián e o Prêmio Nacional das Músicas Atuais concedido pelo Ministério da Educação e Cultura da Espanha.

Sobre o documentário

“Trance” é uma viagem ao coração da música flamenca de Jorge Pardo, um artista essencial para entender a evolução do flamenco contemporâneo. Durante dois anos, o diretor Emilio Belmonte e sua equipe acompanham o lendário flautista e saxofonista do sexteto de Paco de Lucía em suas viagens pela Espanha e pelo mundo para conhecer músicos excepcionais (Chick Corea, Niño Josele, Duquende, Ana Morales, entre outros) com o objetivo de organizar um concerto especial, um espetáculo que se chamará TRANCE. Esta road movie flamenca tem momentos musicais excepcionais e muitas dificuldades para o mestre da fusão flamenco-jazz. O carisma de Jorge Pardo, sua concepção da arte como vida e a vida como arte são o motor de Trance, um dos filmes musicais mais ambiciosos dos últimos anos.

Serviço

“Jorge Pardo” 

Data: 26 de junho, às 20h

Local: Instituto Cervantes de São Paulo
Endereço: Av. Paulista, 2439 Assessoria de imprensa Instituto Cervantes: BriefCom Assessoria de Comunicação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *