em , ,

Kiko Dinucci e Paal Nilssen-Love fazem show conjunto no Rio

Noite terá ainda show de Natural Nihilismo

De Guarulhos a Addis Ababa, de Tóquio a Roskilde, da Zona da Mata Norte a Salvador, a música de Kiko Dinucci e Paal Nilssen-Love reflete os sucessivos deslocamentos de interesse que marca a trajetória dos dois artistas. Nesta caldeira entra o Samba Paulista, o Ethio-Jazz, o Maracatu de Baque Solto, os ritmos do Candomblé… Tudo é matéria-prima que se reflete na música que Dinucci e Nilssen-Love produzem em parceria. Esse encontro ganha os palcos no Rio de Janeiro com uma apresentação única na Audio Rebel, encerrando o feriadão no dia 17/11 (domingo), a partir das 20h.

Kiko Dinucci é cantor, compositor, instrumentista e improvisador paulistano, integrante de projetos centrais na música brasileira contemporânea como Metá Metá e Passo Torto, além de desenvolver seu trabalho solo revirando algumas das premissas fundamentais da chamada “MPB”. Dinucci vem recriando a canção brasileira a partir da convergência entre punk e derivações como o hardcore e o pós-punk, além de ressaltar a presença forte do samba e de elementos provenientes da cultura musical afrobrasileira.

Já o baterista anglo-norueguês Paal Nilssen-Love vem mostrando uma desenvoltura em sintetizar com eficácia o sentido de improvisação com técnica apurada, energia e musicalidade. Tocando ao lado de grande nomes da música improvisada como Ken Vandermark, Joe McPhee, Akira Sakata, Peter Brötzmann e Jim O’Rourke, Nilssen-Love vem redesenhando a cara da música de improviso  contemporânea, incorporando rock, punk, salsa e até mesmo o samba e o baião ao repertório de referências — vale notar que o músico é fã incondicional da rítmica de Luiz Gonzaga e Jackson do Pandeiro.

Em 2019, Nilssen-Love e Dinucci participaram de dois discos coletivos. Gravado no Festival de Roskilde, na Dinamarca, New Brazilian Funk conta com as participações do saxofonista norueguês Frode Gjerstad e dos cariocas Paulinho Bicolor na cuíca e Felipe Zenícola no contrabaixo elétrico. New Japanese Noise é o título do segundo disco, igualmente gravado em Roskilde, com a participação do saxofonista Akira Sakata e da cacofonia eletrônica a cargo de Kohei Gomi e Toshiji Mikawa.

crédito Taylor Ponto

Em ambos o trabalhos é possível entrever um temperamento coletivo e sonoro muito particular, uma espécie de vibração que somente alguns ensembles de improviso livre podem criar. Mas a parceria entre Nilssen-Love e Dinucci parece que tem potencial para criar suas dinâmicas próprias. Sabe-se lá que aberturas, que possibilidades esta parceria pode vir a propiciar no futuro aos ouvintes atentos que os acompanham.

Abrindo a noite, o projeto Natural Nihilismo, iniciado em 2014, é conduzido por NINGUÉM e tem como intuito a formular uma reflexão sobre seres humanos que são invisibilizados pela sociedade e vivem em condição de extrema pobreza. O projeto está em seu oitavo álbum solo, destacando-se “Anistia” (2017), em memória às vítimas da Chacina da Candelária de 1993. Sem diálogo: uma muralha de ruído extremo na zona limiar da experiência sensorial.

Os shows tomam conta da Audio Rebel, espaço da Zona Sul que oferece eventos, gravações e ensaios para bandas e artistas, além de uma loja de discos e oficina de luthieria. A casa fica na Rua Visconde de Silva, 55, em Botafogo. 

Serviço

Paal Nilssen-Love & Kiko Dinucci + Natural Nihilismo
Data: 17/11/2019 (domingo)
Horário: 20h
Local: Audio Rebel
Endereço: Rua Visconde de Silva, 55 – Botafogo – Rio de Janeiro/RJ
Ingressos: R$ 20 (antecipado); R$ 25 (na hora)
Classificação: 16 anos
Capacidade da casa: 90 pessoas (lotação máxima)
Forma de pagamento: para o ingresso, apenas dinheiro; no bar, todos os cartões de crédito
Casa equipada com ar condicionado e wi-fi gratuito
Horário de funcionamento da bilheteria: todos os dias, de 14h às 21h

Deixe sua opinião

Publicado por Build Up Media

Norah Jones faz shows no Brasil em dezembro

Kiss divulga datas da turnê de despedida no Brasil