em ,

Livro ‘Deu no New York Times’ ganha lançamento no Rio de Janeiro

Livro analisa a construção da imagem do terrorista na imprensa americana

Um avião cruza o céu de Nova York e atinge a Torre Sul do World Trade Center. A cena é acompanhada ao vivo por milhões de espectadores. Quando as emissoras de TV começam a transmitir o que viria a ser conhecido como os ataques de 11 de setembro de 2001, a Torre Norte, a primeira a ser atingida, já está em chamas. As imagens são indissociáveis do começo do século XXI e permanecem como signo de assombro. Para o público, especialmente o ocidental, o episódio definiu o que é terrorismo. A construção desse imaginário, no entanto, antecede a tragédia, sendo fortemente influenciada pelos meios de comunicação. A advogada e cientista política Renata Medeiros de Araújo analisa esse desdobramento no livro Deu no New York Times, da Freitas Bastos Editora.

O lançamento é dia 6 de novembro, a partir das 19h, no restaurante La Fiorentina.

Terrorismo investigado

Como o título sugere, Renata delimita sua investigação ao famoso periódico nova-iorquino, escolhido justamente por sua relevância frente à opinião pública. A pesquisa se concentra num período de dez anos, de 1991 a 2001, indo da Guerra do Golfo até a queda das Torres Gêmeas.

“Eu me interessava em entender como o Ocidente vê o Oriente. Islâmicos e muçulmanos formam uma população enorme, quase tão numerosa quanto a católica, mas a hegemonia americana, a força da cultura, passa por cima das ditas minorias, impondo uma forma de pensar. O atentado confirma isso e, ao mesmo tempo, muda a face do terror. Mas é importante compreender o que aconteceu antes”, explica ela.

Como o livro destaca, após o 11 de setembro, terrorismo e fundamentalismo islâmico se tornaram quase sinônimos, uma simbiose reforçada pela imprensa e usada como justificativa para legitimar a política externa americana.

A autora é formada em Direito pela Universidade Cândido Mendes e possui mestrado em Ciência Política pelo Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro (IUPERJ-2016).  Deu no New York Times é resultado de um estudo de quase três anos, em que Renata se debruçou sobre acervos e bases de dados das principais instituições ligadas a órgãos de segurança e ao combate ao terrorismo do mundo, como o FBI (Federal Bureau of Investigation), CIA (Central Inteligence Agency), GlobalSecurity.org e Global Terrorism Database.

O rigor e a densidade da pesquisa tornam o intrincado panorama internacional ainda mais revelador. Segundo ela aponta, há uma considerável discrepância entre os relatórios do FBI e as colunas do jornal a respeito do que é terrorismo.

Na avaliação de Renata, é evidente que a informação é necessária, mas a superexposição do tema acaba agregando novos significados ao assunto. Lidar com isso é parte de um exercício delicado.  “Torço para que o livro sirva como um alerta sobre o papel das mídias. Afinal, realidades são produzidas a partir de opiniões. Por isso é tão importante termos acesso ao contraditório, ao outro lado”, reforça.

Atualmente, Renata desenvolve as bases de um novo livro em que traça um perfil psicanalítico do terrorista.

Serviço

Lançamento do livro Deu no New York Times
Data: 6 de novembro de 2018, terça-feira, às 19h.
Local: La Fiorentina: Avenida Atlântica 458, loja A, Leme – 2543-8395.
Preço do livro: R$ 45.

Vivian Pizzinga

Publicado por Vivian Pizzinga

Vivian é escritora e psicanalista. Lançou dois livros de contos (A primavera entra pelos pés, 2015; Dias roucos e vontades absurdas, 2013), ambos pela Editora Oito e Meio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carregando…

0

Comentários