em , ,

Ópera ‘Cartas Portuguesas’ terá transmissão ao vivo de Lisboa

Fundação Calouste Gulbenkian exibe a ópera na sexta-feira, dia 6 de novembro de 2020

A ópera Cartas Portuguesas, de João Guilherme Ripper, atravessa o Atlântico e chega a Lisboa para a estreia europeia com duas apresentações nos dias 5 e 6 de novembro na Fundação Calouste Gulbenkian.

Na sexta-feira, dia 6 de novembro, o espetáculo será transmitido pelo site da Fundação (https://gulbenkian.pt/) e suas redes sociais às 16 horas (hora Brasil).

Depois de ter partido das cartas trocadas entre D. Pedro I e a Marquesa de Santos para compor premiada ópera Domitila, o compositor João Guilherme Ripper volta a basear-se em cartas para criar a ópera Cartas Portuguesas, desta vez inspirada na correspondência amorosa da freira Mariana Alcoforado, que viveu em Beja, no século XVII. A soprano Carla Caramujo canta o papel de Mariana Alcoforado acompanhada pela Orquestra Gulbenkian, sob a direção do maestro finlandês Hannu Lintu e direção cênica do brasileiro Jorge Takla.

Cartas Portuguesas foi encomendada a Ripper no âmbito da parceria estabelecida entre a Gulbenkian Música e a Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo. Segundo o autor, “é uma ópera sobre a clausura, a solidão e o afastamento. Coincidentemente, estreia no momento em que muitos de nós estamos isolados por causa da pandemia de Covid-19 e, assim como Mariana Alcoforado, temos de conviver sozinhos com emoções, conflitos e dramas dentro das quatro paredes de nossa alma.”

Com todos os lugares disponíveis já vendidos (apenas 60% da lotação), a Fundação Calouste Gulbenkian informa que adotou as orientações da Direção-Geral da Saúde para prevenir a transmissão da Covid-19 em equipamentos culturais. Os espectadores são sentados com um lugar de intervalo, desencontrados entre filas, sendo o uso de máscara obrigatório durante os eventos. Foram também implementadas normas rigorosas de higienização dos espaços.

Participe com sua opinião!