em , ,

TopTop

Show de Elza Soares é destaque na programação do Festival Timbre, que faz edição online

O Festival Timbre faz uma edição especial neste ano de 2021, adiantando a celebração dos dez anos que serão completados no ano que vem. Sediando em Uberlândia, o Timbre segue para a internet no Timbre Online, que se realiza entre os dias 15 e 19 de setembro, com shows no canal do Youtube e palestras no perfil do Instagram.

A apresentação principal é da diva da MPB Elza Soares ao lado do rapper mineiro Renegado. Na live que fecha o evento, no dia 19 de setembro, às 21h, Elza e Renegado farão um show acústico, que passa por grandes sucessos da carreira da artista, canções do rapper e recentes hinos como “Maria de Vila Matilde” que está no celebrado “Mulher do Fim do Mundo” (2015) e a parceria lançada em julho de 2020, “Negão Negra”.

“O Renegado faz parte da história que antecedeu o festival. Eu tive a oportunidade de produzir todas as apresentações do artista em Uberlândia e estava por trás na produção. Foi justamente esses projetos que me influenciaram a criar o Festival Timbre. A Elza Soares é uma querida, uma entidade da música brasileira reconhecida no mundo inteiro. Ela se apresentou e abraçou o festival na 5ª edição em 2018, em meio a um grande problema que tivemos ocasionado pelas intempéries. Ela abraçou o festival com um só pedido ‘Me deixe cantar até o fim’ e ela cantou, conta o produtor do evento, Gabriel Caixeta, o Bibi.

Todas as apresentações tem em especial esse laço com o evento. O grupo mineiro Porcas Borboletas já tocou em três edições do festival. Já o Black Pantera fez parte de várias ações com o evento e tocou em mais duas edições. A baiana Natania Borges volta ao Timbre depois de entregar um show que chamou atenção do público e da produção e se apresenta ao lado de Vaine. Arthur Xará já passou por duas edições do evento e Gabriel Gonti também está de volta pela segunda vez.

Natania Borges também é a mediadora do papo “Representatividade nos palcos”, no dia 16 de setembro, às 20h. A mesa terá como participantes a Banda Dolores 602 (que tocou na 4ª edição do festival em 2017), Cello, da Banda Pássaro Vivo (tocou na 5ª edição do festival em 2018), e Bemti (tocou na 6ª edição do festival em 2019).

No anterior, 15 de setembro, também às 20h, a live mediada por Gabriel “Bibi”, traz um tom de nostalgia no ar, o “Na Sala Com Artistas” terá Vinicius Nisi, da Banda Mais Bonita da Cidade (tocou na 3ª edição do festival em 2016), a banda Tuyo ( que tocou na 6ª edição do festival em 2019), Duda In The Sky (tocou na 6ª edição do festival em 2019).

“A Banda Mais Bonita da Cidade tocou em 2016 e foi a última atração fechada para essa edição. Tivemos um cancelamento e a banda entrou. Foi uma comoção muito grande quando anunciamos a banda. Fizemos uma chamada junto com os Embaixadores do festival cantando ‘Oração’ em plano sequencial e o show foi incrível! Natania Borges é prata da casa. Artista trans baiana, mas residente na cidade. Quando a convidei para se apresentar no último dia da edição de 2019, que fazemos em parceria com o Projeto Arte na Praça, dava para sentir a felicidade da artista, a devoção que tinha por aquele espaço e isso ficou muito evidente ao vê-la no palco. A banda Tuyo como uma gíria que temos em Minas Gerais foi o ‘arroz de festa’ da 6ª edição de 2019. Fez show e participou nos shows dos coleguinhas, mas o mais marcante é que o festival proporcionou um encontro que ainda não tinha acontecido em um palco, que foi a banda Tuyo junto com Lucas Silveira da Fresno. O feat já tinha rolado, mas o show não e foi no palco do festival que isso aconteceu”, revela Bibi.

A outra ação realizada pelo festival é um edital de pitching que está aberto até o dia 9 de setembro, que irá selecionar artistas independentes e autorais mineiros, que nunca tocaram no evento. Entre os dez finalistas, um será escolhido para tocar na edição de 2022 do Timbre em Uberlândia[U2] . “É talvez uma das maiores oportunidades que já oferecemos a artistas, que além de poder tocar na nossa edição de 10 anos, ainda apresentará seu projeto musical a outros 7 grandes festivais do Brasil, podendo futuramente ser contratado a tocar para eles”, diz Lucas Cordeiro, outro sócio do evento.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *