dezembro, 2018

07dezallday16janNosso Luto, peça de Kiury em cartaz em São Paulo, trata da morte com poesia(Dia todo) Agenda cultural:Teatro

Detalhes

A morte para muitos não significa nada. Se não me atingir, não é nada (…) Não é comigo. Agora, quando a morte arrasta uma pessoa que você amava, o papo é outro. A morte bate. A morte chega. Chega sem avisar. (Julieta, em Nosso Luto!)

Nosso Luto é um espetáculo simbólico sobre uma das fases mais difíceis da vida. Com uma linguagem poética, o texto do jovem dramaturgo, diretor e ator, Kiury, fala sobre o sentimento de dor pelo falecimento de alguém e a dificuldade de encarar o vazio trazido pela morte.

Como aceitar a nova realidade? Como recuperar a força de viver quando a vontade é partir junto com um ente ou um amigo querido?

Os personagens são facilmente identificáveis com figuras do nosso cotidiano, mas são carregados de simbologias. O público é convidado a montar a trama, como se fosse um quebra-cabeça, já que a trajetória dos personagens não é mostrada de modo totalmente explícito; eles carregam um certo mistério.

O espetáculo traz muita espiritualidade, mas sem nenhuma relação com qualquer tipo de religião.

Segundo Kiury, Nosso Luto fala do luto e da morte, que muitos têm medo de encarar. ¨Acredito que a morte não é o fim de tudo. Ela dá início a um novo começo. O espetáculo esbarra na espiritualidade, mas é para qualquer pessoa, independente de crença ou não crença¨, conta o autor.

O que interessa é mostrar a história de pessoas que estão em busca da sua essência e de superar as suas dores, num mundo em que, apesar das adversidades, ainda impera o calor humano.

Em cena, quatro personagens: Julieta, Sebastião, Heloísa e Péricles. Julieta é uma mulher comum que vê a sua vida estagnada após a morte de uma pessoa que não se sabe direito quem é. E isso não importa muito! O que tem que ser levado em conta é a sua luta para continuar o seu caminho na busca da realização dos seus sonhos, já que ela não tem muitas perspectivas de futuro: está sem emprego e sem nenhuma razão para viver.

Julieta (Suka Rodriguez) perdeu o chão, mas conta com a ajuda de três amigos, que formam o seu tripé. Sebastião (Sergio Seixas) é o porteiro de seu prédio e uma espécie de guru na sua vida – com ele, Julieta estabelece uma relação de enorme carinho. A sua amiga, Heloísa (Carola Valente), é solar, alegre, e Péricles (Wood Moura), introspectivo, um bom ouvinte, lunar e que tem a paciência de ouvir as suas lamúrias.

Nosso Luto marca, especialmente, o encontro entre dois amigos que têm em comum a paixão pelo teatro. Eles mantêm contato há cinco anos e só agora formam parceria em um projeto teatral. Rodrigo Ferraz assina a direção e Kiury é seu assistente de direção.

Kiury destaca que a sua peça não é autobiográfica, mas que a trama foi escrita a partir de algumas experiências pessoais e que homenageou pessoas que tiveram importância na sua vida na escolha dos nomes dos personagens.

¨Quando perdemos alguém ou algo importante na nossa vida, ficamos com a sensação do vazio. Não podemos negar! Em 2016, a humanidade “perdeu” grandes personalidades. Foi um ano de término¨, fala. ¨Eu me despedi de muitos colegas de profissão e de uma grande amiga. Senti a necessidade de colocar no papel¨, complementa.

O seu objetivo como dramaturgo é valorizar a poesia dos diálogos e assim tocar o espectador. ¨Sempre fui espiritualista. E acredito na imortalidade do espírito. Falar de morte para mim nunca foi tão difícil. Quero com a simplicidade do texto, tocar o coração das pessoas¨.

A concepção cênica de Ferraz é realista, está focada na interpretação dos atores e pretende reforçar o teor poético do texto.

O diretor conta que tinha visto Um Dia Você Vai Entender, peça muito bem sucedida do amigo Kiury, e gostado muito. Quando terminou a leitura de Nosso Luto, já estava totalmente envolvido com a trama e logo pensou na escalação do elenco e equipe. ¨Nosso Luto é uma ode à vida, declara¨.

O cenário traz uma estrutura simples, com algumas caixas espalhadas pelo palco. A luz acompanha a estrutura do cenário, com um desenho de luz que privilegia a cor branca e figurinos de cor neutra. Apenas a protagonista realiza uma troca de roupa durante a apresentação.

A trilha sonora é formada por composições criadas especialmente para a montagem, criadas pelo músico Mion.

Após todas as sessões, haverá bate-papo com um(a) psicólogo(a) convidado(a).

Ficha Técnica

Texto: Kiury
Direção: Rodrigo Ferraz
Elenco: Suka Rodriguez, Sergio Seixas, Carola Valente e Wood Moura.
Assistência de Direção: Kiury
Trilha Sonora: Mion
Iluminação: Roberto Bueno
Operação de luz e som: Roberto Bueno e Anderson Bonach.
Figurinos/Adereços: Coletivo
Assessoria de Imprensa: Nanda Rovere
Produção: Kiury e Rodrigo Ferraz.
Fotos de Sergio Sampaio

Serviço

Local: Cia Pessoal do Faroeste – Rua do Triunfo, 305 – São Paulo/SP.
Datas e Horários: De 7 a 16 de dezembro – Sextas Feiras, às 20h30, Sábados às 20h30 e Domingos às 19h.
Ingressos: R$10 (nome na lista e meia entrada) e R$20.
Gênero: Drama.
Duração: 1h.
Faixa Etária: 14 anos.

Horário

Dezembro 7 (Sexta) - Janeiro 16 (Quarta)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao topo
Publicar

Ad Blocker Detected!

Advertisements fund this website. Please disable your adblocking software or whitelist our website.
Thank You!

Log in

Esqueceu a senha?

Já tem uma conta? Registrar

Esqueceu a senha?

Entre com os dados da sua conta para reenviarmos a senha para você.

Your password reset link appears to be invalid or expired.

Log in

Privacy Policy

To use social login you have to agree with the storage and handling of your data by this website.

Close
of

Processing files…

X