em ,

'Obscena, um encontro com Hilda Hilst' dialoga com obra da autora

Obscena, um encontro com Hilda Hilst, monólogo escrito e dirigido por Luciana Lyra, toca nos elementos fundamentais da obra da escritora e poetisa Hilda Hilst, e cujo mote é o desejo – ideia chave que vai guiando o fluxo de consciência traduzido dramaturgicamente e encenado por Fabiana Pirro em um cenário aconchegante e tão introspectivo quanto o texto da autora. O espetáculo conta ainda com direção de arte da atriz Nara Menezes.
Pode-se, inclusive, reconhecer claramente, para quem tem alguma familiaridade com obra poética da autora, a voz de Hilda Hilst misturada à da personagem Líria, que, em seu monólogo, inclui a plateia para dialogar com os desejos dos espectadores, com seus sonhos, com sua relação com a paternidade. O primeiro verso de Do desejo, de HH, presente no texto da peça, é exatamente o que traduz o espetáculo e poderia resumi-lo (se resumos fossem bons e viáveis) em uma frase: “Porque há desejo em mim, é tudo cintilância”.
A atriz Fabiana Pirro encena Líria/Hilda, expressando liricamente seus desejos e encarnando uma solitude suave e sem sofrimento, escolhida em certa medida, ou que não quer desesperadamente ser outra coisa, que não exclui lembranças, vontades interrompidas, indignação e também doçura. É possível usufruir de estar consigo mesma e isso tranquiliza. Líria fala do desejo de transar e do medo de amar, reconhece o que carrega de seu próprio pai (assim como Hilda tinha uma paixão por seu pai), quer ouvir o que têm a dizer aqueles que a escutam, mas, ao mesmo tempo, faz as perguntas sem esperar, necessariamente, as respostas. Ela dança, corre, agita-se, aquieta-se, inquieta-se, massageia e tateia o próprio o corpo, despe-se, veste-se, tudo com leveza e sem pressa.
É possível lidar com o desejo sem desmoronamento, é isso o que a dramaturgia parece indicar, sublinhando que ele é imprescindível, o desejo, mas que também é imprescindível falar sobre ele.
'Obscena, um encontro com Hilda Hilst' dialoga com obra da autora | Críticas | Revista Ambrosia

Ficha técnica

Atriz: Fabiana Pirro
Direção e dramaturgia: Luciana Lyra
Design de luz: Luciana Raposo
Operador de luz: Kelson Santos
Paisagem sonora: Ricardo Brazileiro
Operador de som: Ernesto Filho
Técnica de Projeção: Lorena Pirro
Cenotécnico: Mário Almeida
Figurino: Virgínia Falcão
Preparação Corporal: Sílvia Góes
Filmografia: Ernesto Filho e Renata Pires
Design gráfico: Tito França e Dida Maia
Fotografia: Renato Filho (Retouching Studio)
Produção local: Maria Siman (Primeira Página Produções)
Assistente de produção local: Fernanda Silva
Produção executiva: Fernanda Ferrario e Dida Maia (Janela Gestão de Projetos)
Direção de produção: Fabiana Pirro
Concepção: Fabiana Pirro (Duas Companhias)
Patrocínio: CAIXA e Governo Federal

Serviço

Obscena, um encontro com Hilda Hilst
Local: CAIXA Cultural Rio de Janeiro – Teatro de Arena
Endereço: Av. Almirante Barroso, 25 – Centro (Metrô e VLT: Estação Carioca)
Telefone: (21) 3980-3815
Lotação: 176 lugares (mais 4 para cadeirantes)
Datas: 13 a 29 de abril de 2018 (sextas, sábados e domingos)
Horários: 19h
Duração: 50 min.
Ingressos: R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia). Além dos casos previstos em lei, clientes CAIXA pagam meia
Bilheteria: de terça-feira a domingo, das 13h às 20h
Classificação indicativa: 16 anos
Acesso para pessoas com deficiência

Deixe sua opinião

Avatar

Publicação Vivian Pizzinga