em ,

“À sombra de uma mentira”, traz uma visão sobre a violência cometida por crianças

“O suspense é o que prende o leitor, mas o grande diferencial em ‘À sombra de uma mentira’ é a certeza constante de que algo terrível está prestes a acontecer.” Stephen King

O mestre do suspense apresenta sempre títulos que reveram a parte mais crua de nossa sociedade. Aqui, em À sombra de uma mentira (The wicked girls) temos uma narrativa que conta a história de duas crianças, acusadas de assassinato, que se encontram anos depois.

20160812-asombradeumamentira-capaJade Walker e Bel Oldacre moram na mesma cidade, mas têm vidas um tanto distintas. A primeira mora com os pais, um criador de porcos e uma dona de casa, e vive com fome porque os dois frequentemente se esquecem de alimentá-la. A má fama dos Walker é conhecida por ali. Já Bel é enteada de um homem muito rico; mas ele e sua mãe passam muito mais tempo fora do país do que com a menina. Numa manhã, as duas, ambas com 11 anos, se conhecem por acaso no mercado da cidade. No fim daquele mesmo dia, Jade e Bel serão acusadas de assassinato ao se envolver na morte de uma outra criança.

Este é o pontapé inicial deste livro de estreia de Alex Marwood, que venceu o Prêmio Edgar Allan Poe em 2013, publicado pela Bertrand Brasil. Além de construir um suspense intrigante, do tipo que fisga o leitor, Marwood dá estofo a suas personagens e aborda questões como a velha discussão entre índole x criação, e o efeito de uma vida envolta em mentiras.

Depois de protagonizarem um escândalo que chocou o país e as transformou nas “crianças mais odiadas do Reino Unido”, Jade e Bel são enviadas para reformatórios separados e instruídas a nunca mais entrarem em contato uma com a outra. Mais de vinte anos depois, elas são pessoas diferentes. Jade é Kirsty, uma jornalista freelancer, casada e com dois filhos, que lida com o desemprego do marido. Bel agora é Amber, gerente de um parque de diversões numa pequena cidade litorânea da Inglaterra.

Mas quando Amber encontra o corpo de uma adolescente em uma das atrações do parque e Kirsty é enviada para cobrir a história, os caminhos das duas vão se cruzar novamente. Trata-se do terceiro assassinato em série na pequena cidade, e a presença maciça da imprensa ameaça o anonimato das duas. Juntas, elas vão tentar manter seu segredo a salvo.

Uma visão sobre violência cometida por crianças que em muitas vezes pode ser definida por ‘algumas pessoas simplesmente nascem más’, mas o autor constrói um forte argumento de que esses crimes “são enraizados em fatores como pobreza, abuso e descaso dos pais.”

Vou aguardar esse chegar lá em casa.

Deixe sua opinião

Publicado por Cadorno Teles

“Demônio de Neon” critica a superficialidade da moda de forma ousada

CCBBRJ divulga sua programação de aniversário com viradão, teatro e cinema