em , ,

Nicolas Cage em 10 filmes

Comemorando aniversário de Nicolas Cage, que está completando 56 anos neste 6 de janeiro, listamos 10 filmes relevantes para conhecer melhor a carreira do ator.

O Motoqueiro Fantasma (2007)

Fã de quadrinhos, Cage não hesitou em aceitar o papel do anti-herói sobrenatural da Marvel. E apesar de ter causado um certo desapontamento nos fãs na época de lançamento, a estreia do personagem na telona não é de todo mal. Vale pela curiosidade. O desastre viria na sua sequência…

Con Air: A Rota da Fuga (1997)

O filme abusa do absurdo, mas é inegável que, justamente por isso, é um dos títulos de ação mais divertidos dos anos 90.

Cage é Cameron Poe, em liberdade condicional, retorna para sua esposa, mas deve voltar para casa a bordo de um voo de transporte de prisioneiros chamado “Jailbird”, com alguns dos piores criminosos vivos. Só que um violento plano de fuga é engendrado no meio do voo. Cabe a Poe trabalhar secretamente com o policial federal Vince Larkin para frustrar o plano.

A Lenda do Tesouro Perdido (2004)

Aqui Cage quis brincar de Indiana Jones. Benjamin Franklin Gates vem de uma família de caçadores de tesouros que ouviu de seu avô a história do tesouro nacional. Esse tesouro está escondido em algum lugar do país e a pista que leva ao baú do tesouro está criptografada e espalhada por todo o país.

Alguns podem torcer o nariz, mas é uma sessão da tarde inofensiva.

Peggy Sue (1986)

Chamado por alguns de “De Volta Para o Futuro para gente grande”, esse filme de Francis Ford Coppola traz a história de Peggy Sue (Kathleen Turner), a outrora garota mais popular da escola que leva uma vida adulta bem diferente do que sonhou, passando pelo estressante divórcio de Charlie (Cage), seu namorado da época de escola com quem se casou.

Durante uma reunião com a turma do colégio ela desmaia e magicamente acorda na época do ensino médio e, em tese, pode alterar seu futuro. Lembrando que Nicolas Cage é sobrinho de Coppola e leva civilmente o sobrenome do diretor.

A Rocha (1996)

Dentro da boa safra de filmes de ação protagonizados por Cage na segunda metade dos anos 1990, esse aqui, dirigido por Michael Bay, traz o ator na pele do químico de boas maneiras que, junto com um ex-presidiário e agente da inteligência britânica vivido por Sean Connery, devem liderar o contra-ataque quando um grupo desonesto de militares, liderado por um general renegado, ameaça um ataque de gás de Alcatraz contra São Francisco.

Feitiço da Lua (1987)

Nessa comédia, Cher é a jovem viúva Loretta, que acaba se apaixonando por aquele que será seu futuro cunhado, Ronny (Cage), faltando pouco para o casório. O filme rendeu a Cher um Oscar de Melhor Atriz.

A Outra Face (1997)

Sem dúvida um dos melhores filmes de ação dos últimos 30 anos. Dirigida por John Woo, essa pérola traz Nicolas Cage e John Travolta trocando de lugar um com o outro quando o policial Sean Archer, vivido por Travolta faz uma cirurgia para acoplar o rosto do bandidão Castor Troy, vivido por Cage, dado como morto.

Dessa forma ele poderá se infiltrar na quadrilha. Só que Troy não morreu e consegue roubar o rosto de Archer. Por mais absurdo que pareça o mote, Woo transforma em um pujante espetáculo.

Adaptação (2002)

O roteirista Charlie Kauffman bisa a parceria com Spike Jonze tão bem sucedida em Quero Ser John Malcovich. Aqui o resultado é outra obra desconcertante em que Um roteirista com crise existencial (Cage) tem a difícil tarefa de adaptar um livro para o cinema e pede ajuda ao seu irmão gêmeo, também escritor.

Arizona Nunca Mais (1987)

Esse segundo longa dos irmãos Coen foi o que os catapultou ao sucesso. A partir daí, todos os filmes comandados por eles ganhavam atenção dos críticos e cinéfilos.

Nicolas Cage e Holy Hunter interpretam um casal que, sem poder engravidar, e sem conseguir adoção, decidem raptar um dos bebês de Nathan Arizona, mas logo compreendem o quão hercúlea é a tarefa de criar filhos.

Despedida em Las Vegas (1995)

Aqui, Nicolas Cage é um um dramaturgo de Hollywood que perdeu o emprego, a família e os amigos por causa do alcoolismo. Sozinho no mundo, ele vai para Las Vegas decidido a se afogar em bebida, mas o destino coloca em seu caminho a prostituta Sera (Elisabeth Shue) com quem desenvolve uma estranha relação.

O filme rendeu o Oscar de Melhor Ator para Cage na cerimônia de 1996.