Ambrosia Críticas "A Pé Ele Não Vai Longe" hesita em ser John Callahan

"A Pé Ele Não Vai Longe" hesita em ser John Callahan

Gus Van Sant quase sempre faz filmes envernizados pela pecha indie em sua forma e conceito. É uma identidade da qual por vezes trafega na linha tênue entre a estetização e a propriedade.
Em A Pé Ele Não Vai Longe, seu novo trabalho, ele retrata a vida do cartunista John Callahan (em interpretação notável e sensível de Joaquin Phoenix), muito popular nos EUA com seus desenhos politicamente incorretos, e que possuíam um traço elegante, sobretudo para o artista que era tetraplégico. A trama paraleliza tanto os fatos que levaram ao acidente fatídico quanto o reconhecimento por seu trabalho.
Callahan viveu a típica juventude transviada da década de 70, sob efeito de álcool e drogas. A tragédia inclusive é uma consequência disso. Após o acidente e lutando para reaver seus movimentos – o que de fato aconteceu, pelo menos com as mãos, se tornando assim o cartunista que virou – ele passa a frequentar reuniões de Alcoólicos Anônimos lideradas pelo excêntrico Donnie (Jonah Hill, excelente).
Ao expurgar seus dramas em grupo, Gus vai contando e contextualizando sua vida. E se vale do constante confronto pessoal entre seu protagonista e Donnie para relativizá-lo.

Esse embaralhamento é o grande êxito do filme, mesmo as vezes sendo discursivo demais. O roteiro estimula boas reflexões sobre identidade e finitude, sem sentimentalismos.
Por outro lado, está no DNA da história um certo viés de “filme de mensagem”, e Gus parece conduzir tudo com alguma hesitação entre o que seu filme é e o que o enverniza para não ser. Isso faz com que personagens como de Rooney Mara praticamente inexistam na narrativa. Callahan se tornou um sujeito muito mais complexo após o acidente, e essa complexidade se estendia para sua obra.
O filme prefere tratar a história real de maneira elementar, priorizando mais a mensagem que se tira dela. Por ser um Gus Van Sant, o resultado não soa gratuito, mas também não paga tanto o tributo do ser John Callahan.
[rwp_box id=”0″]

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Novidades

O legado de The Big Bang Theory

Depois de 12 anos e 279 episódios, a série The Big Bang Theory se despediu. Isso equivale a quase 140 horas de comédia e...

Marcos Valle faz uma dançante e bem-humorada crítica política em “Olha Quem Está Chegando”

Um alerta bem-humorado sobre uma série de malandros vindo para roubar, ora em quadrilha, ora em família está nos versos de “Olha Quem Está...

Cantor francês Vaslo apresenta canção intimista em frente à lendária livraria Shakespeare and Company

A música de Vaslo é delicada, surgindo em meio ao silêncio e à respiração com cordas sutis e uma voz marcante. Isso fica claro...

Dois Barcos e Ventilador de Teto tocam juntas em São Paulo

Uma noite muito especial de aniversário. As bandas Dois Barcos (SP) e Ventilador de Teto (RJ) decidiram comemorar juntas o primeiro ano dos seus...