em ,

Suricato comemora indicação ao Grammy e lança disco ao vivo

Em fase produtiva, Suricato fala sobre as recentes conquistas e planos para 2021

O ano de 2020 vai ser sempre lembrado como um ano atípico, para o bem e para o mal. No caso de Suricato, apesar de todos os problemas e dramas causados pela pandemia do novo coronavírus, poderá ser lembrado (pelo menos artisticamente) como um ano positivo.

Além de alguns singles e do ótimo álbum “Suricateando”, o músico acaba de lançar o segundo EP ao vivo “One Man Band ao Vivo”. Os dois volumes foram gravados durante uma live do cantor, onde misturou novas canções, grandes sucessos e material inédito.

Suricato “One Man Band” tem 16 canções divididas em dois volumes, sendo que todas as canções ganharão clipes extraídos e editados da própria performance dirigida por Suricato e Pedro Secchin.

Não bastasse isso, seu álbum “Na Mão as Flores” (2019) foi indicado ao Grammy Latino, que acontece no dia 19 deste mês.

— Não dá para esconder que estou muito feliz com essa indicação. É muito importante para a minha carreira e é um grande reconhecimento. Essa é a segunda indicação consecutiva e, da primeira vez, eu até fiquei meio blasé, mas dessa vez eu chorei feito uma criança por 3 horas seguidas — confidencia Suricato ao Ambrosia.

Suricato conversa com a Ambrosia sobre a atual fase da carreira

Mesmo dizendo que não é um entusiasta da “hiperprodutividade”, parece que 2020 tornou Suricato em uma “usina de energia.

— A produtividade não é a solução para todos os problemas. Na verdade, acho que grande parte desses problemas se deve ao homem não conseguir sentar sozinho e quieto em uma sala. Mas acho que eu posso ter me libertado artisticamente da pressão externa por resultados bem sucedidos. Isso fez com que eu e arriscasse um pouco mais em projetos nos quais realmente achava pertinentes — conta o artista.

Parece com tudo, mas não é igual a nada

A live “One Man Band” é um desses projetos. Segundo Suricato, o projeto é uma oportunidade para que as pessoas vissem (e ouvissem) como ele fazia as performances de suas canções.

— A live One Man Band foi pensada para que as pessoas pudessem ver como eu performo as canções. É um formato no qual venho trabalhando já faz alguns anos. É uma pessoa só no palco, mas foge do “violão e voz”. A live tem a pressão sonoro tem o peso de uma banda. Parece com tudo, mas não é igual a nada, mas tem a cara do Suricato. Estou muito orgulhoso com o resultado — explica.

E, para tornar o projeto ainda mais interessante, “One Man Band ao Vivo” traz duas canções inéditas — “Aqui Estamos” e “A Vida é Foda” — uma em cada um dos volumes.

Suricato que novo disco com banda

Mas, quem acha que Suricato pretende diminuir o ritmo em 2021 está enganado.

— Para o ano que vem quero lançar um disco com banda. Mas ainda tenho um single para lançar em dezembro, que é segredo (risos). Quero me divertir no estúdio e estar junto das pessoas que eu gosto. Nem eu estou mais me aguentando no estúdio (risos). Quero um processo coletivo — revela o músico.

Então, apesar de todos os pesares, 2020 não acabar também tem seus pontos positivos.

Boa sorte, Suricato.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Street Fighter

Publicado por Fernando de Oliveira (feroli)

Jornalista com mais de 30 anos de carreira e que já teve a honra de entrevistar Sir Paul McCartney, entre outros feitos.

VerificadoEscritorColecionadorMusicólogoRepórterPromotor(a)

Luvie lança “Por Um Segundo”

Com Ana Paula Arósio e Tiago Lacerda, Terra Nostra chega ao Globoplay