Festival do Rio: "O Farol" é a visceralidade de um diretor autor | Filmes | Revista Ambrosia
em , ,

Festival do Rio: “O Farol” é a visceralidade de um diretor autor

Robert Eggers sempre teve adoração pela estética expressionista do cinema alemão dos anos 1920/30. Em seus exercícios de linguagem, chegou ao seu novo filme,  radicalizando a forma e o conceito do seu cinema.

O Farol é o seu paroxismo. Assim como as referências que estão formando sua obra, se vale do formato 1.19:1 num preto e branco meticulosamente contrastado, o que adensa ainda mais a fotografia. A história é centrada na relação de dois homens: Thomas (Willem Dafoe, soberbo) e Ephaim (Robert Pattinson, em seu melhor papel após Bom Comportamento), que estão isolados em uma ilha distante para trabalhar num farol marítimo.

Festival do Rio: "O Farol" é a visceralidade de um diretor autor | Filmes | Revista Ambrosia

No início, parece que a relação seguirá a previsibilidade do senhor experiente e do aprendiz angustiado. Mas assim como seu badalado filme anterior, A Bruxa, Eggers não é muito chegado em caminhos fáceis. O isolacionismo os unifica pela tensão primitiva que se abate sobre os dois. Tensão essa, inclusive homoerótica, tornando ainda mais complexos os devaneios com os quais os dois vão imergindo.

Não é um filme de respostas. E Eggers tende a nos fazer ficar mais interessados em suas construções dramáticas do que em possíveis respostas para suas narrativas. Claro que justificando sua história pela ambientação que cria, numa verdadeira sinergia de luz, som e enquadramento. Por mais que o humor sobressaia numa conjuntura geral, é um filme duríssimo. Não polpa os personagens, nem o espectador.

O mergulho que o filme propõe chega a ser perturbador, ainda mais no ato final. Mas tudo sob a melhor fotografia e luz que um projeto ambicioso como esse poderia exigir. Tecnicamente impecável, fico me perguntando se o filme achará o seu público. E como Roggers, ao não parecer se importar com isso, torna seu filme tão visceral.

Cotação: Excelente 4 de 5 estrelas

Festival do Rio: "O Farol" é a visceralidade de um diretor autor | Filmes | Revista Ambrosia
Williem Dafoe and Robert Pattinson in director Robert Eggers THE LIGHTHOUSE. Credit : A24 Pictures

Participe com sua opinião!