Game XP 2019 – “Ghost Recon Breakpoint”: primeiras impressões

Ambrosia Games Game XP 2019 - "Ghost Recon Breakpoint": primeiras impressões

Uma das principais atrações da Game XP 2019 foi sem dúvida o jogo “Ghost Reckon Breakpoint” da Ubisoft. A desenvolvedora montou um stand no evento para demonstrar seu novo título para o público que compareceu ao game park entre os dias 25 e 28 de julho.

Trata-se de uma continuação da série “Ghost Recon”, iniciada em 2001 baseada nos livros do autor Tom Clancy. “Breakpoint” já abriu inscrições para jogar a versão beta em agosto, mas nada como ter o gostinho de experimentar o título em primeira mão.

Seguindo a proposta da franquia, o novo episódio é um jogo de tiro tático e cooperativo. Dessa vez há uma novidade: o jogador pode carregar corpos, novos itens, mais opções de customizar seu personagem (mudando gênero e outros detalhes) e armas. Ainda é possível jogar em quatro pessoas tanto no PC, quanto no Xbox One e Playstation 4.

Game XP 2019 - "Ghost Recon Breakpoint": primeiras impressões | Games | Revista Ambrosia

O game é continuação direta do anterior, “Wildlands”, de 2017, tanto que os personagens continuam aqui, com o foco de história em Nomad. A missão disponível no evento consistia em adentrar a locação, a ilha tomada pela Skell Technology, empresa especializada em drones e que pode criar armamentos autônomos perigosos. O objetivo final era invadir a base inimiga e encontrar uma cientista.

A tarefa não é das mais fáceis e o caráter tático se mostra bastante necessário. Nada de entrar de peito aberto no território inimigo. Fincado no realismo, um tiro pode eliminar sua vida, ou lhe deixar seriamente ferido. Agora, quando sofre dano, seu Ghost pode também ter uma lesão. Embora não perca a vida, seu personagem fica lento e pouco efetivo em combate. Daí é preciso utilizar os recursos adicionais no inventário para curá-lo e fazê-lo voltar a seu máximo aproveitamento. Por isso é prudente utilizar-se de furtividade, que ficou bem trabalhada, com a possibilidade de se camuflar enchendo o próprio rosto de lama e usando o mato a seu favor. Também é possível deitar no chão e se rastejar, o que é providencial para preparar emboscadas ou evitar detecção quando não existir cobertura disponível.

Embora seja possível jogar e campanha solo, fica claro que o game foi desenvolvido com foco no modo cooperativo. Foi a opção disponível no stand da Ubisoft. Como agora é possível carregar corpos, seu companheiro de equipe pode te levar para um lugar seguro e cuidar dos seus ferimentos longe do fogo cruzado.

Quanto à jogabilidade não houve grandes mudanças em relação a “Wildlands” e o sistema de combate é praticamente o mesmo. No que tange aos gráficos houve melhorias sutis nos detalhes e nos cenários. O jogo estava rodando em PCs parrudos no stand, com o gráfico quase no máximo e o ligeiro upgrade pôde ser notado.

Por fim, “Ghost Recon Breakpoint” é um título que não foge muito da tradição da franquia, e de jogos inspirados no universo de Clancy em geral, mas as novidades podem satisfazer os fãs. Torcemos para que as missões sejam variadas e ofereçam desafio a medida que o jogo avança.Tem potencial para conquistar novos adeptos e se não surpreende os jogadores antigos da série, mantê-los-á entretidos por horas.

#Novidades