União entre o percussionista Marco Lobo e o violoncelista Federico Puppi, Yamí celebra a Bahia | Lançamentos | Revista Ambrosia
em ,

União entre o percussionista Marco Lobo e o violoncelista Federico Puppi, Yamí celebra a Bahia

Após viajar pelas areias do deserto e pelos sons africanos nos singles anteriores, o projeto Yamí cria um instrumental eletrônico com influência da música baiana no novo single “Baião da Onça”. A música ganhou um clipe que mostra as ruas e a noite de Salvador como exemplo de uma cidade pulsante.. A faixa já está disponível em todas as plataformas de música e o clipe, no YouTube.

Mescla da percussão brasileira e tons eruditos com o cello e a música eletrônica, Yamí é a união do percussionista baiano Marco Lobo e o violoncelista italiano Federico Puppi. Com shows em festivais pelo país e parcerias nos palcos com nomes como Criolo, Tulipa Ruiz e Castello Branco, eles se preparam para lançar seu disco de estreia.

No vídeo dirigido por Pico Garcez, as imagens se dividem entre a tradicional Feira de São Joaquim e uma performance ao vivo no bar D’Venetta.

“Essa música tem uma raiz brasileiríssima no ritmo do baião e uma pegada bem eletrônica no beat e nos synths. Escolhemos ‘Baião da Onça’ para ganhar o primeiro clipe do projeto Yamí porque ela representa muito bem a natureza do nosso trabalho. Algo ancestral, alegre, moderno e bom de dançar”, conta Marco Lobo.

Lobo é um dos grandes nomes da percussão, com três álbuns solo e tendo trabalhado com artista importantes, tais como Milton Nascimento, Maria Bethânia, Caetano Veloso, Gilberto Gil, Virginia Rodrigues, Lenine, João Bosco, Ivan Lins e Marisa Monte. Além disso, ele tem desenvolvido projetos com músicos de todo o mundo, como o baterista Billy Cobham e o trio Elf, e ainda participa do grupo World Percussion Ensemble. A percussão de Lobo em Yamí inclui, além dos atabaques, instrumentos do folclore brasileiro como berimbau, gungas e tambor de onça, além de pads eletrônicos e outros instrumentos experimentais como hang drum, tubos e sucatas.

Italiano radicado no Brasil, Puppi é violoncelista e lançou em 2018 o disco “Marinheiro de Terra Firme”, seu segundo trabalho autoral – sucessor da estreia, “Canto da Madeira” – e que já flertava com a música eletrônica. Como produtor, trabalhou ao lado de Maria Gadú no disco “Guelã”, indicado ao Grammy Latino, entre outros nomes da cena brasileira.

Yamí é um encontro de culturas e tempos diferentes, onde ancestralidade e futuro dançam juntos. O álbum de estreia do projeto, incluindo “Siroco”, “Bah’li” (com o músico camaronês Njamy Sitson) e “Baião da Onça”, será lançado em setembro.

 

Deixe sua opinião

Avatar

Publicação Build Up Media