em

E se a Cinderela fosse uma assassina?

SINOPSE: Quando a magia se perdeu do mundo, e um círculo vicioso de regras mantém o rei em seu trono de vidro. Nas sombrias e sujas minas de sal de Endovier, uma jovem de 18 anos está cumprindo sua sentença. Celaena é uma assassina, e a melhor de Adarlan. Aprisionada e fraca, ela está quase perdendo as esperanças quando recebe uma proposta. Ela retorna ao castelo que um dia poderia ter sido seu, ela não vem para matar, mas para ganhar sua liberdade. Ela irá representar o príncipe de Adarlan em uma competição, lutando contra 23 assassinos, ladrões e guerreiros em uma competição para encontrar o maior assassino na terra.

Quem nunca imaginou como seria um conto de fadas em uma versão mais sangrenta e violenta? Pode ser uma ideia não muito nova, mas fazer do jeito que Sarah J. Maas fez é algo bem diferente do que se poderia esperar. Trono de Vidro (Throne of glass) é o nome do primeiro volume da série de mesmo nome que a Record (Galera Record) está publicando com três títulos já lançados, Coroa da Meia Noite e Herdeira de Fogo são os outros títulos, e um quarto volume sendo lançado neste mês de março, Rainha das Sombras. A série possui uma narrativa young adult que atraiu leitores de várias idades, mesmo aqueles que gostem de George R. Martin, o estilo de Maas consegue transcender seu gênero, com personagens bem desenvolvidos e um cenário bem caracterizado para uma série escrita para adolescentes. Iremos abordar um pouco de cada livro, repassando um resumo/release de cada narrativa e mostrando os títulos lidos.

WP_20150812_22_36_04_ProO primeiro volume apresenta a série, mostra como uma garota mesmoThrone_of_Glass_UK tendo feito coisas horríveis pode ter uma vida “quase normal” se não fosse à assassina mais perigosa de Ardalan, estivesse presa em uma mina de sal e tivesse apenas 18 anos. E mais, encontramos uma personagem que não tem nada de princesa, mal educada, briguenta e íntegra, não deixando-se levar pela violência do momento.  Presa, ver as oportunidades da juventude passar, mas tudo muda quando o Príncipe Dorian chega para convidá-la para ser sua campeã onde o prêmio é ser a campeã do rei – assassina particular – em um torneio e se vencer ganhar sua liberdade depois de alguns anos de trabalho. O maior inconveniente é que este mesmo rei foi o único a dizimar sua terra natal e colocá-la em sua situação atual. O ângulo romântico acrescentado à história pode ser previsível, mas encontramos os trâmites da superficialidade e da construção de um triângulo amoroso dão uma capa mais realista a narrativa. Assim começa a história de Trono de Vidro, um livro que nunca achei que iria gostar, mas me arrebatou em poucos capítulos. Esse livro tem tudo que um livro de sucesso tem um enredo alucinante, uma dose de magia, um pouco de romances e mistérios e bastante cenas de ação.

9781408834947Em Coroa da Meia-Noite, o segundo volume, a personagem Celaena tem que lidar com seu trabalho de campeã do reino lidando com uma possível revolta aos arredores do castelo de vidro, ainda tem que disfarçar sua lealdade para o rei e tentar descobrir mais sobre a magia que é proibida pelo rei para todo seu reino. Além de ser ter alguns surtos de idiotice, que leva a cometer atos selvagens de violência, Celaena continua progredindo com sua busca pelos mistérios que rodeiam a magia e o reino, em meio a uma avalanche de intrigas, conspirações e reviravoltas.

20613470No terceiro volume, Herdeira do Fogo, temos uma narrativa mais pausada, sem tanta ação, que aparece lá pela metade do livro. Há três segmentos narrativos neste volume, seguindo personagens diferentes, ampliando os pontos de vista, mas ainda centrando em Celaena. Enviada para longe do Castelo de Vidro,  inicia uma busca pelas verdades que envolvem o seu passado. Essa jornada pelo autoconhecimento a la Tarantino faz com que a assassina ressurja ainda mais forte e decidida. Chegou a hora de assumir a sua verdadeira identidade e reivindicar o que é seu por direito, mesmo que isso signifique lutar contra o rei mais poderoso e inescrupuloso. Um terceiro tomo que surpreende, pois a escrava que se tornou assassina tinha um passado que se abre, transformando-a, vulnerabilizando-a e levando a uma guerra sem precedentes.

Em suma, temos uma fantasia épica, com uma linguagem perpicaz e bem nitída, com uma história que não decepciona, pela maneira que as intrigas e traições são desenvolvidas, a autora cria cenas de ação que deixam o leitor numa pilha de nervos, tanto o cenário quanto os personagens são bem construídos e sensíveis aos acontecimentos. Apesar de algumas coisas meio desnecessárias, e mesmo sendo uma historia previsível, vale o tempo de leitura e recomendamos para quem realmente é fã de histórias de fantasia épica, com um pouco de mistério, uma heroína diferente, personagens emblemáticos, clichês, ação e romance. Para quem não conhece ou ainda enerva com as séries juvenis, um pouco da fala desta personagem: “Nunca me esquecerei das pessoas que matei. Mesmo os que matei para sobreviver. Ainda vejo os rostos deles, ainda me lembro exatamente do golpe que os matou. Em alguns dias, parece que outra pessoa fez aquelas coisas. E fico feliz que tenha acabado com a maioria daquelas vidas. Não importa a causa; no entanto, ainda… Ainda leva embora um pequeno pedaço nosso, toda vez. Então, acho que nunca vou esquecer delas.” – Celaena Sardothien

Deixe sua opinião