em ,

Leviatempo – Um escritor, mistérios e o drama da página em branco

Gosto de mistérios ao estilo Sherlock Holmes e quando vejo um lançamento que trata do assunto, já procuro informações. Recentemente soube do thriller Leviatempo, primeira obra de Maxime Chattam publicada pela Bertrand Brasil, com certeza livro que estará em minhas próximas aquisições.

O cenário é a Paris da Belle Époque, uma cidade amoral e com sede de progresso, onde uma série de estranhos assassinatos começa a acontecer. Sombria e altamente realista, a narrativa conduz o leitor por uma narrativa intensa, que levanta questões instigantes sobre a natureza humana.

Guy de Timée, o protagonista de Leviatempo, é um autor de sucesso que vive o drama da página em branco  protagonista, um escritor afligido pela rápida passagem do tempo, que tenta fugir das expectativas de uma vida comum. Em busca de inspiração para escrever um romance noir, ele sai de casa, deixando mulher e filha, e se aloja no sótão de um bordel no coração de Paris. Seu interesse pelos mistérios do submundo, pelo que acontece no fundo dos becos e dos porões mal cheirosos, faz com que se aproxime das residentes do local.

Quando uma das jovens prostitutas é encontrada morta ao lado do bordel, horrivelmente curvada, transpirando sangue e com os olhos completamente negros, Guy não perde tempo e se envolve pessoalmente nas investigações do crime. Em companhia da cortesã Faustine e do complexado inspetor Perotti, ele se vê diante de outros assassinatos com características semelhantes. Mas qual seria o propósito do serial killer?

Com uma trama de tirar o fôlego, que levanta questões assustadoras sobre os instintos primários do ser humano, Leviatempo é um romance surpreendente, no qual o protagonista, ao tentar seguir os passos de Arthur Conan Doyle, acaba mesmo se tornando uma espécie de Sherlock Holmes.

O AUTOR Chattam nasceu em Herblay, França, em 1976. Foi guarda-noturno, livreiro e ator, mas abandonou a paixão pelo mundo cinematográfico para se dedicar à escrita. Fascinado por romances policiais, matriculou-se em um curso de criminologia em Paris, onde adquiriu o conhecimento necessário para escrever suas próprias histórias. Chattam é hoje um dos escritores de maior sucesso do mercado editorial francês e já teve seus livros traduzidos no mundo inteiro. Desde então, já publicou cerca de vinte romances.

Deixe sua opinião

Publicado por Cadorno Teles

“Linda de Morrer”: uma comédia aquém de seu próprio assunto

Bloc Party apresenta duas músicas inéditas em show na California