em ,

Detroit Metal City

Detroit Metal City | Anime | Revista AmbrosiaÉ difícil classificar Detroit Metal City, animação do excelente Studio 4°C adaptada do mangá de sucesso de Kiminori Wakasugi, mas acho que posso definí-lo como um anime adulto para quem ainda tem uma criança malvada dentro de si. Ok, não foi a melhor das definições, mas pelo menos eu tentei. É que falar sobre um desenho que fica no vai-e-vem entre o ingênuo e o brutal/ofensivo não é fácil.

Soichi Negishi é um garoto doce e educado que deixou sua cidade natal no interior do Japão, rumo à Tóquio, para cursar a faculdade e tentar a sua sorte no mundo da música. Suas preferências são por baladas bobas e açucaradas tocadas no violão. Ele mesmo passa uma parte de seu tempo tocando para os transeuntes na rua, por puro prazer. O tempo passa e as coisas deram certo para Neguishi, mas de uma maneira totalmente errada. Suas músicas fofas em nada deram e, ao invés disso, ele acabou se tornando o vocalista e guitarrista de uma banda independente de death metal (!) que vem fazendo sucesso meteórico na cidade. A banda se chama Detroit Metal City e nela Negishi assume a persona do demoníaco Johannes Krauser II.

Detroit Metal City | Anime | Revista AmbrosiaEsse sucesso não seria problema para muitos, mas é o que mais atormenta o garoto. Ele odeia as músicas que toca (e que também compôs), a base de fãs da banda é extremamente agressiva e acéfala (qualquer semelhança com fãs de algumas bandas de metal extremo é mera coincidência, ou não), a presidente da gravadora basicamente o odeia e ninguém parece gostar de suas baladas. As coisas só pioram quando Negishi reencontra sua paixão de faculdade, Yuri Aikawa, que é jornalista de uma revista para garotas e deixa logo claro o seu desgosto pelo Detroit Metal City (ou DMC, como são conhecidos) e sua horda de fãs, sem ter a mínima idéia de que é a banda de Negishi.

O que faz Negishi continuar na banda? Pura pressão de seus companheiros e da gravadora. Mas não só isso, quando ele sobe ao palco com a roupa e a maquiagem de Krauser, Negishi parece possuído por um demônio e não consegue parar. A persona do satãnico guitarrista toma conta de sua pessoa e ele normalmente exagera na dose. No palco o DMC tem um senhor masoquista, o Porco Capitalista, que fica ao lado do microfone, só esperando o momento em que ele será chutado e escurraçado por Krauser, o que leva os fãs ao delírio. A música do anime, aliás, é bem pegajosa, tanto nas baladas bobas quanto nas músicas pesadas. Mesmo que você não goste dos estilos, elas grudarão na sua cabeça por alguns dias ou semanas.

O charachter design e a animação, como em todas as produções do Studio 4°C, são um caso à parte. Indo do tosco ao elaborado, por vezes parecendo uma página de mangá e nem sempre se preocupando em fazer a animação completa dos movimentos. E isso tem tudo a ver com a temática do anime.

Detroit Metal City | Anime | Revista AmbrosiaDetroit Metal City é bastante curto – 12 episódios de 13 minutos cada – e esquizofrênico. Não há um momento sequer para tomar fôlego, indo do ofensivo (é o anime mais boca suja que já assisti, e nem sempre isso é engraçado, só infantil) ao romântico e de volta ao ofensivo em menos tempo do que você possa dizer “bom dia”. Apesar de curto, o trabalho hercúleo de Negishi para manter uma vida dupla de amigo carinhoso e de auto-proclamado filho do demônio chega a cansar nos episódios finais, mas não é nada que cause grandes estragos na diversão.

O anime, lançado diretamente em video, também teve uma adaptação para as telonas, num longa metragem lançado em 2008, mas sendo você fã ou não do desenho, posso lhe garantir que o melhor é passar longe do filme, que conta com a participação de Gene Simmons, do Kiss. É uma vergonha.

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=P1HnC4XV_us[/youtube]

2 opinaram!

Deixe sua opinião!

    Participe com sua opinião!