Vinicius Castro transforma obra de escritores lusófonos em música | Música | Revista Ambrosia
em ,

Vinicius Castro transforma obra de escritores lusófonos em música

Confira “Volúpia”, versão musicada de soneto de Florbela Espanca

Cantor e compositor, Vinicius Castro sempre foi um apaixonado pelas palavras e pelo seu poder. Atualmente morando em Portugal, se dedica a um novo projeto onde trabalha melodias para textos e poemas escritos por grandes nomes da literatura em língua portuguesa.

O novo lançamento desse projeto é “Volúpia”, versão de um soneto de Florbela Espanca, que conta com voz da portuguesa Cristina Clara.

Natural de Recife e carioca de coração, Vinicius começou a se destacar na cena independente no início dessa década com seu disco de estreia “Jogo de Palavras” (2010). Entre os destaques de sua jornada artística estão o fato da sua canção “Ser diferente é normal”, parceria com Adilson Xavier, ser regravada por Lenine, Gilberto Gil, Biquini Cavadão, entre tantos outros, e foi apresentada na ONU (Nova York) com uma versão em inglês feita por Emily Perl Kingsley e Sharon Lerner, roteiristas de Vila Sésamo.

Sua relação com textos literários vem desde o começo da carreira. Após o debut, ele trabalhou no projeto de home studio e vários intérpretes Som na Sala durante todo o ano de 2012. Na ocasião, musicou o “Soneto XXV”, de Pablo Neruda, que chegou a ser regravado no disco “Flor”, de Daíra. Ele também transformou em canção o poema “A criança que ri na rua”, de Fernando Pessoa, presente no EP “Prematura”, de Taiana Machado.

Vinicius Castro transforma obra de escritores lusófonos em música | Música | Revista Ambrosia

A relação entre literatura e a música de Vinicius ficou mais evidente em 2017, quando, morando em Nova York, musicou 9 poemas do norte-americano Patrick Phillips, e lançou o álbum “Broken Machine Project”. O disco contou com a participação de nove cantores da cena independente da metrópole americana.

“Esse disco foi ao mesmo tempo uma continuação e uma ruptura no meu trabalho. Continuação porque a letra continua sendo o principal elemento das minhas obras, e uma ruptura porque dessa vez eu tive que vestir o eu-lírico de outrem e me entregar a esse universo poético”, reflete Castro.

Morando em Lisboa, ele aprofundou seus laços com a literatura lusófona e a convite da Casa Fernando Pessoa, participou do evento Dias do Desassossego, para o qual musicou três trechos da prosa pessoana – excertos do Livro do Desassossego e do Teatro Estático. Essas canções foram registradas e lançadas mensalmente projeto Estúdio Quintinha Apresenta, que une Vinicius com o cinegrafista Rodrigo Rezende, da Miragem Films, com artistas portugueses.

“Penso às vezes com um agrado”, com Bruno Xavier

“Há ondas na minha alma”, com Fernanda Paulo

“Minha alma é uma orchestra”, com Diogo Picão

Agora, na edição de outubro, o projeto traz a cantora Cristina Clara interpretando o soneto “Volúpia”, da poetisa Florbela Espanca. A artista, que revela nuances de fado nas melodias brasileiras de Castro, é natural do Minho mas vive em Lisboa desde 2005, onde faz um trabalho que dialoga com os limites da canção tradicional urbana, em particular, pelo fado.

Ficha Técnica:
Soneto de Florbela Espanca
Música de Vinicius Castro
Gravação e Mistura – Estúdio Quintinha [Lisboa/PT]
Filmagem e Correção de Cor – Rodrigo Rezende – Miragem Films
Voz – Cristina Clara
Guitarra, Baixo, Bateria e Melódica – Vinicius Castro

Deixe sua opinião

Publicado por Build Up Media

Vinicius Castro transforma obra de escritores lusófonos em música | Música | Revista Ambrosia

Leo Fressato revela “Eu Toco Violão Porque Não Sei Apertar Botão”

Vinicius Castro transforma obra de escritores lusófonos em música | Música | Revista Ambrosia

Festival de Cinema de Petrópolis anuncia programação