em ,

Websérie busca apresentar o papel das autoras mulheres na música brasileira

As vozes femininas que ecoaram – ou que tentaram silenciar – ganham destaque na websérie “Compositoras do Brasil”, com produção do Ostra Festival e direção de Dani Pinheiro. Em três episódios, o projeto trará entrevistas para debater as origens da música popular brasileira contadas a partir da narrativa pouco falada das mulheres compositoras. O primeiro episódio já está no YouTube e os próximos estarão disponíveis nas próximas semanas.

“As mulheres romperam padrões de beleza e de comportamento através da música e inspiraram muitas pessoas a viverem suas vidas com liberdade e plenitude. A história da música popular brasileira é uma história de hiatos femininos. São centenas ou milhares de vozes, que tiveram sua expressividade artística marginalizada e menosprezada e, que estão aqui representadas pelas falas dessas personagens que são compositoras e entusiastas do empoderamento feminino na música. A pressão social dos papéis de gênero impediu mulheres de exercerem suas atividades artísticas com a mesma dedicação que os homens. Muitas tiveram seus trabalhos invisibilizados pelo preconceito”, conta a diretora Dani Pinheiro.

Entre as entrevistadas, estão desde compositoras consagradas como Ana Terra, Zélia Duncan e Alice Ruiz até novas compositoras como Thais Vilela, Jack Rocha e Doralyce.

“Para a seleção das entrevistadas, procuramos mulheres envolvidas com a música de diversas formas e etapas de carreira, vivência musical e que por alguns caminhos pudessem dialogar. O fio que une as entrevistadas é a composição, as muitas formas de contar as histórias das compositoras brasileiras, suas dificuldades, conquistas e relação com as cenas musicais construídas atualmente”, conclui Gab Mariquito, uma das produtoras da série..

Fundada em 2017, a Ostra é um espaço de liberdade e protagonismo da mulher na música, onde artistas, compositoras e intérpretes se apresentam e trocam entre si. A série, junto de um festival virtual ocorrido em março, foram realizados com recursos captados através do edital Fomenta Festival RJ, pela Lei Aldir Blanc.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *