“Flummels: Extintos!” é uma animação com muito potencial, mas que peca pelos clichês

134
0

Sinopse: Quando dois Flummels (uma espécie adorável de animais fofinhos com buracos no centro) são transportados magicamente até os dias atuais, descobrem que suas espécies estão extintas e esquecidas. Após saberem o que aconteceu, terão que viajar no tempo para tentar salvar sua raça de desaparecer para sempre.

Análise

Mais recentemente, a Netflix deu aos fãs de animação muitas coisas novas. Pelo menos na área das séries, novidades são adicionadas praticamente todas as semanas, às vezes até vários títulos por semana. A qualidade certamente oscila um pouco, mas exemplos como Maya e os 3 Guerreiros  ou Um Conto Sombrio dos Grimm se destacam. Em termos de filmes, no entanto, a produção é bastante modesta, sem o mesmo número e quando apresentam um título,  o resultado é bastante preocupante.

No caso, temos em Flummels: Extintos!, um exemplo de uma produção aquém das possibilidades. Uma coprodução sino-americana, que se esconde sob o gênero de uma comédia infantil, centrada em um irmão e uma irmã particularmente desajeitados (e, portanto, excluídos por seus iguais), numa animação bem divertida com espécies extintas. Mas devemos admitir que o teor ecológico para por aí. A trama se concentra mais na tentativa de evitar uma erupção e na resolução do ciúme entre os animais. Não há uma mensagem ecológica propriamente dita.

A animação apresenta uma raça de criaturas conhecidas como Flummels, adoráveis ​​criaturinhas peludas em forma de aros que vivem em uma das ilhas Galápagos. Dois deles, Ed (Adam Devine) e Op (Rachel Bloom) são os flummels rejeitados e acabam viajando pelo tempo. Um dia, Ed e Op caem em uma flor e viajam no tempo para a moderna Xangai, onde descobrem, graças a um poodle chamado Clarence (Ken Jeong), que sua raça foi extinta durante a explosão de um vulcão. Agora Ed e Op devem encontrar uma maneira de voltar para sua antiga ilha e salvar sua espécie … oh, e contarão com a ajuda de outros animais extintos.

A animação está bem abaixo do padrão da Pixar. Muitos dos personagens parecem cópias de outros filmes: o dinossauro de Toy Story, os mamíferos da Idade do Gelo, e assim por diante.

Temos um daqueles filmes que tinha o potencial de contar uma grande história sobre criaturas extintas, talvez passar uma mensagem ambiental sobre a conservação da vida selvagem ou algo assim… mas em vez disso, é uma comédia infantil, com uma narrativa feita para entreter, com viagem no tempo, o humor pastelão e clichês do cinema de animação. Apesar dos personagens interessantes, do desenho de produção/design bem feitos é um típico filme para crianças, com poucas cenas engraçadas.

Mesmo com o elenco com um bom talento cômico e os roteiristas que trabalharam em Os Simpsons por vários anos, a animação não consegue compor piadas fora do lugar-comum. Poderia ter seguido o estilo dos Minions para despertar a curiosidade das crianças se fossem um pouco mais desenvolvidos, mas Flummels: Extintos!, sem revolucionar o gênero, é, portanto, um apenas razoável filme animado. Entretém pela simplicidade e exotismo, com muito potencial, contudo, no geral, é muito indeciso.

Nota: Ótimo – 2.5 de 5 estrelas

Cadorno Teles
WRITTEN BY

Cadorno Teles

Cearense de Amontada, um apaixonado pelo conhecimento, licenciado em Ciências Biológicas e em Física, Historiador de formação, idealizador da Biblioteca Canto do Piririguá. Membro do NALAP e do Conselho Editorial da Kawo Kabiyesile, mestre de RPG em vários sistemas, ler e assiste de tudo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *